quinta-feira, 23 de julho de 2015

SEMANA DO LIVRO NACIONAL - SP

Semana do Livro Nacional na livraria Martins Fontes da Avenida Paulista: resumindo, SENSACIONAL!
Mari Scotti, a organizadora de SP

Josy Stoque, a idealizadora da SLN
Organização: nota dez, cem, mil para Mari Scotti, que foi impecável. Nosso atraso ao chegar (eu estava hospedada na casa dela) foi, em boa parte, causado por um tremendo e inexplicável congestionamento na Avenida Paulista em pleno sábado. Como é que conseguem isto? Aliás, como é que conseguem andar lá durante a semana? Se no sábado é assim, imagine nos outros dias! 
Mari caprichou nos prêmios de sorteio e nas lembranças do evento. Acho que pouca gente saiu de mãos abanando! Aliás, falando em sorteio, eu estava na maior torcida para ganhar Sombras de Primavera, o segundo volume da trilogia da Keila. Acreditam que o livro saiu para o número anterior ao meu?! Eu não acreditei. Fim do mundo, gente!
Povo lindo demais!

Público: uma multidão que precisou até ficar de pé no fundo da sala, que foi pequena para tanta gente. Lotadíssimo! Não apenas isso, era uma turma que ria, perguntava, participava. O melhor público que um evento poderia desejar!
Festival de sorrisos!

Autores: uma turma simpática, risonha e em sintonia. Havia risos e sorrisos de uma ponta a outra. Foi fantástico fazer parte da mesa, onde estavam, da esquerda para a direita: Josy, Keila, eu, Babi (que eu não conhecia. É uma fofa!), Pepper, Denise, Renan e, fora da foto, Ignez Scotti, mãe da Mari e escritora também, e a própria Mari.
Com Keila Gon

Com Samara, do blog Da Realidade aos Sonhos

E com Ana Paula, do Livros de Elite!



Amigos: por todo o lado! Novos, velhos, faceamigos, amigos que não via há tempos... Gente, que coisa boa essa farta distribuição de abraços!




E os livros, claro, enfeitando a mesa e fazendo bonito na literatura nacional.





Abaixo, uma parte da palestra que fiz, a pedido da Mari, sobre como matar direitinho um personagem - ou, ouvindo o que falei, como NÃO matar de um jeito que não convence. Ana Paula, do blog Livros de Elite, é que filmou. E aqui o link para o álbum de fotos de coloquei no Facebook.

Bom, era isto... Parece que está faltando alguma coisa, mas deve ser porque uma parte do meu cérebro está concentrado em Guardião? , o spin-off que virou livro e ainda tem novidades para mostrar; outra parte está na Semana do Livro Nacional de Ribeirão Preto, onde estarei no sábado, e ainda nem arrumei a mala; outra parte está pensando num novo spin-off; outra parte está pensando na Mundo Uno Editora e tudo que precisa ser feito até a Bienal, onde estarei no estande da Ler Editorial; outra parte quer terminar de revisar Talismãs de uma vez por todas; outra parte não pode esquecer de postar hoje os capítulos prometidos do Olho do Feiticeiro; outra parte... Sei lá. Acho que acabaram as partes, kkk. Bom vídeo pra vocês!




domingo, 12 de julho de 2015

Guardião?

Guardião? com a diagramação finalizada, contato com a gráfica feito, toda a burocracia ok, tudo quaaaase pronto para mandar os arquivos e mandar imprimir...

E eis que chega um MONSTRO.

O MONSTRO TROCADOR DE CAPAS.

Capa antiga? Esqueçam! A capa da edição física vai ser totalmente diferente. E vai ficar muuuuuito show! Óbvio, né. Se não valesse a pena, eu não mudaria agora, na prorrogação do segundo tempo!

Como imagino que vocês gostariam de uma ideia das mudanças, mesmo que seja só um micropedacinho da quarta capa (aquela de trás onde fica a sinopse), aí vai...

Usem a imaginação e me digam o que é!


sexta-feira, 10 de julho de 2015

Praia branca

Sabem, acho que estou precisando TANTO de uma folga que só sai post sobre praia, apesar dos numerosos assuntos literários que deveria abordar! Então, desistindo momentaneamente da literatura, vamos às praias!

A praia de hoje tem areias brancas. De acordo com o Guinness Book, as areias mais brancas do mundo!

Foto de impacto para iniciar o post.
Olha só isso!

Esta preciosidade fica na costa sul da Austrália; mais especificamente, na baía Jervis (Jervis Bay), que, por si só, já é um paraíso.
Jervis Bay, com as areias brancas ao fundo.

Que tal?

Nem precisava da areia branca para ser um dos lugares
mais lindos do mundo.

A praia homenageada pelo Guinness é Hyams Beach, que parece feita de talco, de neve, de qualquer coisa assim.
Areia? Tem certeza?
Tem certeza MESMO?

Existem praias de areias brancas em Cuba e em outros pontos do Caribe, mas nenhuma vence Hyams Beach no quesito "brancura da areia".

A água linda, transparente, cor de turquesa, sem dúvida ajuda a areia a parecer mais branca ainda.
Ah, os meus pés nesta água...

Estudos realizados sugerem que o motivo de a areia ser tão branca deve-se uma quantidade enorme pequenos grãos de magnésio, que chegam até ali transportados pelos corais da região. É uma explicação técnica que não justifica tanta beleza. E, de novo, não consegui deixar fotos de fora. Cada uma é mais linda do que a outra! Lá no finzinho, só para deixar a gente com ainda mais vontade de estar lá, tem um vídeo da praia. Maldade pura, admito!







sexta-feira, 3 de julho de 2015

Praia verde

Na semana passada, a estrela do post foi Pink Sand Beach, nas Bahamas (link). Hoje, troquei de cor. Vamos para a praia mais verde do planeta!
Papakolea.
Cortesia da Mãe Natureza, é verde sem Photoshop
Esta é a praia de Papakolea, no Havaí, também conhecida como Green Sand Beach ou Mahana Beach. Existem mais uma praia de areia verde na Noruega e outra nas Ilhas Galápagos.
Areia verde-oliva de verdade.
Não é fácil chegar a Papakoela. Primeiro, é preciso uma autorização do Departamento de Terras Natais Havaianas; depois, precisa alugar um 4x4 + motorista (porque não-nativos não podem dirigir 4x4) para vencer os dois quilômetros de estrada acidentada e empoeirada. E, finalmente, há a descida da encosta que leva à praia, que é feita a pé. Eu fiquei pensando muito mais na subida. Acho que estou ficando velha. Ou sábia.
A descida.
Olha o tamanho disso!
Ainda pensando que, pra baixo, todo santo ajuda...
Achou a cor da areia incrível? É, ela é mesmo. É causada por uma pedra esverdeada chamada olivina, proveniente do vulcão Pu'u Mahana, que fica próximo à praia. Importante: o vulcão está inativo há séculos, ok?
 Os cristais de olivina se formaram em abundância quando a lava vulcânica esfriou.
Verdíssima!
Com o passar do tempo, foram levados em fragmentos para dentro do oceano, sendo polidos pelo tempo e pelas ondas. E, como as ondas estão sempre erodindo o velho vulcão, a areia da praia se mantém sempre verde.
Areia de cristais de olivina
E quer saber a coisa mais incrível ainda? A olivina é uma pedra semipreciosa, chamada de "Diamante Havaiano". Ou seja, não é só uma praia verde. É uma praia feita de pedacinhos de pedras semipreciosas! Abaixo, um zoom na areia e mais algumas fotos. Tudo é tão lindo que fico com pena de deixar fotos fora do post.


Água tão verde que a areia nem parece tão verde.

Achei essa foto belíssima!