sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Resenha: Linhagens

Quotes de Linhagens escolhidos pela Caroline! :)

Como já mencionei aqui, há algumas semanas postei no grupo (não conhece o grupo? Aqui está o link) um convite a parceiros que já haviam resenhado Cisne: quem gostaria de resenhar Linhagens? Diversos valentes se voluntariaram, e digo valentes porque meus livros têm o hábito de não serem pequenos. E eis que, apesar do tamanho de Linhagens e do pouco tempo, as primeiras resenhas já estão sendo postadas!

Hoje trago para vocês a resenha da Caroline, do blog parceiro Fantastic Books. Avaliação 5/5 (uhu!!!), resenha completa neste link. E, só pra variar, foi uma tremenda dificuldade escolher uma frase apenas!

"Outra coisa maravilhosa na escrita da autora é que é uma série que alcança qualquer idade, você pode dar para uma criança e um adulto e ambos vão gostar, é uma mistura de família, ideais, aventura e romance que ouso categorizar como perfeito.
Quando você chega ao final do livro deseja que Eleonor já tenha publicado o próximo, pois você realmente não faz ideia do que vem por aí, mas dá a certeza que será fantástico."

Sim, Talismãs será bem especial. Para os curiosos de plantão, há quotes dele (generosos quotes, devo acrescentar; quase sempre são textos, não frases isoladas) lá no grupo de fãs! 


quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Talismãs: incluindo uma cena

Foi a primeira vez que vi um vídeo e decidi taí, não tem essa cena no livro, mas precisa ter. Então, algo bem parecido com o vídeo abaixo vai surgir no livro. Precisa? Não precisa? Questão de ponto de vista. Escolhi ambientar meus livros em um barco no meio do mar justamente por adorar mar. De modo que, pra mim, a partir desse vídeo... Bom, precisa a cena, sim. Sem dúvida que precisa, porque a gentileza da baleia ao tocar o caiaque é simplesmente linda.


domingo, 25 de janeiro de 2015

Talismãs: quotes

O pessoal que acompanha o grupo está curtindo um quote de cada capítulo de Talismãs. Então, resolvi juntar aqui todos os quotes já publicados!

Ah, não sabia do grupo? Este é o link. Sinta-se muito bem-vindo a bordo do Cisne!

Capítulo 1:

– Então agora eu tenho que dizer aos Senhores de Merine o que Merine faz?! – explodiu Peggy. – Tenho que explicar ao Senhor de Krilin o que sua Casa faz?! Que é que está acontecendo aqui?!
– Calma, menina – o doutor Don segurou-a de leve pelos ombros. – Eles apenas levam muito mais tempo para compreender isso que você percebe tão espontaneamente. É o seu dom. Muitas vezes, vai dizer a eles o que está se passando com forças que eles deveriam compreender, não você.
– Mas não devia ser assim!
– Você está além das coisas que deveriam ser.



Capítulo 2:

– Ei, espere, todo mundo! – interferiu Teo. – O que há, Tom? O que não está certo, para você estar com essa cara? Por que não é para acordar Peggy? Aconteceu qualquer coisa com ela?!
– Ah, acontecer, aconteceu, mas nem pense em me perguntar o que foi porque não faço ideia! Ela chegou com umas roupas esquisitas e rasgadas, chorando feito uma desesperada! Se enfiou no quarto, me mandou embora aos gritos, nem parecia Peggy! Daí papai ligou pra dizer que ela tinha fugido do Comando e que não era pra mexer com ela, porque tinha gente do Comando a caminho pra se encarregar! E daí me aparecem duas figuras da nossa idade! A garota se meteu lá no quarto com Peggy e o cara ficou comigo, dizendo que a irmã dele era sensitiva como Peggy e que estava tudo bem! Não consegui arrancar uma palavra dele sobre o que tinha acontecido com Peggy! E vocês metidos em cinema e lanches descansados! Eles saíram faz meia hora! Se vocês tivessem chegado mais cedo, podiam ter me ajudado a conseguir alguma explicação! A garota disse que Peggy estava dormindo e era pra deixar dormir, e estava com uma cara que dava até pra pensar que toda a família de Peggy tinha acabado de morrer!
– Por que não mandou o velho atrás da gente?! – protestou Teo. – Você sabia onde estávamos!
– Porque aquele velho infernal SUMIU!


Capítulo 3:

A parte compreensível do mundo terminava precisamente ali.
As perplexidades começavam por Peg enfrentando [...] com tanta fúria que tinha atirado todo mundo para o chão, continuavam no surto raivoso da sensitiva mais fofa que conheciam, prosseguiam animadamente com o curandeiro da lente e com Peter todo arrebentado e, quanto a encerrar, bem, ninguém considerava qualquer perplexidade encerrada, porque ninguém, nem mesmo da ala adulta, tinha conseguido qualquer explicação sobre todo aquele tumulto.
Miqi e Shela, os Senhores de Slara, haviam sido os primeiros a chegar. Mesmo da Terra, podiam perceber quando havia confusão em sua Casa. Logo depois deles veio tio Paul, visivelmente alterado, tanto que tinha ido embora num estouro de luz incompatível com um dos melhores transportadores do grupo. Em seguida, houve um despencamento sequencial de pais e mães aflitos, cada um checando nervosamente se os respectivos filhos estavam inteiros. Sim, garantiram os jovens. Estavam inteiros. Assustados, mas inteiros!


Capítulo 4:

– [...] Agora até que faz sentido, mas, na hora, parecia... Sei lá. Parecia muito...
Absurdo? Impossível? Inacreditável? Fantástico? Havia uma dezena de palavras semelhantes que encaixariam bem, mas, com um sorrisinho que precisou ser pequeno diante de tantos problemas e feridos, Vivi completou:
– ... Parecia muito Peggy.
Foi a origem de uma epidemia de sorrisos entre os jovens do treinamento mental. Peggy era a Madame Confusão, e fazia total justiça ao apelido. Aprontava tais e tantas no treinamento, e as tais e as tantas eram tão malucas, que os amigos não encontravam mais palavras para definir os fatos e feitos daquele ciclone de olhos azuis. Até que um dia o calmíssimo Andres, exasperado, tinha gritado que era para ter cuidado, porque Peg tinha feito mais uma coisa muito... Peggy! A expressão ficou: Peg fazia coisas muito Peggy! E, quando Peg fazia as tais coisas muito Peggy, como incluir Rip e Su no treinamento, havia o equivalente a um alerta geral no grupo. A Madame Confusão NUNCA deixava por menos! Rip e Su tinham sido o caos na vida de todos eles. Um tipo maravilhoso de caos, mas caos mesmo assim!


Capítulo 5:

– Quer apostar?
– Quero! Você não me conhece, seu Fogueirinha! - protestou Pam.
– Está feito: eu digo que eles vão botar para correr o primeiro pretendente sério que você tiver!
– Eu digo que, se eles tentarem isso, eu é que meto todos eles pra correr!
– Feito! – Jean estendeu a mão para selar o acordo. – Vou contar com sua honestidade para não trapacear, Pam, porque não vou estar perto para ver!
– Não vou precisar de qualquer trapaça pra ganhar essa! – Pam tinha ímpetos de gritar só de pensar nos irmãos se metendo na sua vida. – Estamos apostando o quê?
– Se eu ganhar, sei muito bem o que quero! – Jean sorriu, malicioso.
Pam corou. Depois do beijo, na Ilha das Focas, Jean havia se mantido sempre próximo, mas Pam não abrira brechas. O beijo tinha sido interessante; no entanto, Jean estava com eles o tempo todo e Pam percebeu bem depressa que tudo podia acabar em um tremendo mal-entendido. Peggy tinha razão. Aquela não era uma boa política com irmãos adotivos, nem com amigos muito chegados.
– Um beijo, Pam. Um beijo bem apaixonado, sem Giles para atrapalhar! E você?
– Quero um beijo, também – encarou Pam. – Mas, se eu ganhar, você vai dar o beijo em Tim!



sábado, 24 de janeiro de 2015

Maravilhas da Natureza: Polo Norte

A Natureza é uma maravilha, sem dúvida... O que fazemos com ela, nem tanto.

O post de hoje veio de um daqueles "oh, que legal!" que a gente pensa quando está passeando pelo Face. Era uma imagem animada de algo que eu sempre tive curiosidade de ver: uma visão de espaço do polo Norte. É que, ao contrário do polo Sul, tem muita terra perto dele! Alasca, Canadá, Groenlândia, Sibéria, Finlândia e o resto da turma. A gente sempre vê o mapa aberto, com tudo espichadinho para os lados. Quis ver como ficava "fechado", olhando de cima. E tudo fica bem perto mesmo! É incrível.

O que não achei nem um pouco incrível foi a animação com a quantidade de gelo do Ártico. Gente... A redução é de assustar! E o gelo, se movendo na animação, parece vivo. Sabe Natureza Viva? Pois é... Por aí.

Aí, em função do gelo, acrescentei mais um vídeo, com o mesmo assunto. Nesse, o gelo só parece gelo mesmo. Diminuindo muito depressa.






quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Resenha: Linhagens!


Oi, gentes!

Temos resenha novíssima de Linhagens, saindo quentinha do forno! Foi feita pela Lívia, do blog parceiro Livinha's Place.

Há cerca de duas semanas, fiz no grupo (link do grupo, se você não conhece) um convite para os parceiros que já tinham resenhado Cisne: quem queria resenhar Linhagens? Lívia estava entre as primeiras a se candidatar, leu super rápido e eis aí a resenha, menos de dez dias depois de ela ter recebido o livro! Ah, eu ADORO esses meus parceiros maravilhosos!

A avaliação foi 5/5 (Linhagens arrasando, uhu!), aqui está o link para a resenha completa.

Uma frase da resenha:

"Linhagens me surpreendeu bastante e eu estou super curiosa por Talismãs, que será o terceiro livro. Linhagens terminou de um jeito tão empolgante que, me desculpe Eleonor, mas tive um pouquinho de vontade de gritar com a autora por fazer uma maldade dessas e deixar os leitores curiosos e ansiosos pela continuação."

Ok, sei que foi um final malvado e detesto quando fazem isso comigo, mas... Não achei outro jeito de terminar o livro! Se colocasse um capítulo a mais, ia terminar do mesmo jeito, ou seja, deixando as pessoas a fim de gritar comigo!

E sim, Lívia. Na capa, temos a Raiz Principal da krilin sempreverde, com suas flores verde-douradas em primeiro plano!

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Mais leituras!

Só que essas são recentes, não do ano passado! Estou baixando a pilha dos autores estrangeiros, que estava ENORME.

Então, vamos lá:


1. A Queda dos Reinos, livro 1 - Morgan Rhodes, editora Seguinte, 399 páginas. Leitura... interessante. Mas, por algum motivo, os personagens não me empolgaram. A trama é boa, bem armada, e o autor não tem pena de matar os personagens logo no primeiro livro, o que é uma raridade, considerando que é uma série. Não sei se vou ler os próximos livros.

2. O Solteirão - Carly Phillips, editora Essência, 285 páginas (ok, li esse no ano passado, rsrs). Eu e mais uma turma compramos esse livro num saldão da Bienal do Rio, 2012, por um preço que não me lembro qual era, mas era menos do que um dos lanches milionários de Bienal. A capa já escancara: chick-lit delícia! E não deu outra. A-do-rei! Li o livro inteiro numa sentada só. Ri, me emocionei, saracoteei na cadeira, entrei noite a dentro até terminar. Gosta de livros bem escritos, personagens encantadores e uma história bem montada? Este tem o seu nome, então!

3. O Sangue do Olimpo - Rick Riordan, editora Intrínseca, 419 páginas. Com esse livro, tio Rick encerra (?) a saga de Percy Jackson, o semideus filho de Poseidon e uma humana. Nossos já conhecidos personagens estão todos aí, se esforçando para salvar o mundo (e os deuses) mais uma vez. Gostei da leitura e da forma como ele encerrou (?) a história, mas os pontos de interrogação indicam minha dúvida sobre uma possível continuação. Acho que vai ter, sim. E eu vou ler!

Capa tudo a ver
com a história!

4. A Escola do Bem e do Mal - Soman Chainani, editora Gutemberg, 346 páginas. Vi este livro no Face e me interessei pela história. Claro que vi em uma livraria na semana seguinte, e ele veio para casa. Pela minha curiosidade, pulou para o topo da pilha (como o do tio Rick). É uma interessante releitura de contos de fadas, com muita ação e lances heroicos. As reviravoltas são quase previsíveis, mas a história prende mesmo assim. Quando li, pensei em anotar aqui que se trata de um livro único numa literatura atacada por séries sem fim. Qual não foi minha surpresa em encontrar, no Skoob, a marcação de "livro 1"! Mas, bem, se você for ler, acredite em mim: a história termina tão bem terminadinha que tem cara de livro único. Se gosta de contos de fadas, vá firme! Você vai gostar.

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Maravilhas da natureza: esperteza dos cogumelos!


Todo mundo sabe que as plantas dispersam suas sementes e esporos de muitas maneiras. As mais comuns são a gravidade (sementes que caem, é óbvio!), a projeção forte (as sementes que são arremessadas longe por suas cápsulas), o vento (você já assoprou um dente-de-leão, com certeza), a água (e também, na praia, já foi verificar alguma bolota muito esquisita e descobriu que era uma semente) e os animais, que comem as frutas e espalham as sementes bem longe da planta original.

Até agora, todos acreditavam que cogumelos soltavam seus esporos e contavam com a sorte e o vento para espalhá-los.

Cogumelos ostra
Agora, no entanto, os cientistas descobriram que alguns cogumelos conseguem criar seus próprios "micro-ventos"! Nos Estados Unidos, foram usadas técnicas de filmagem em alta velocidade e modelagem matemática para mostrar que os cogumelos Pleurotus ostretatus (cogumelo ostra) e Lentinula edodes (shiitake) liberam vapor d'água que esfria o ar ao seu redor, criando correntes de convecção. Estas correntes geram ventos em miniatura que levantam os esporos dos cogumelos no ar. Isso faz com que os esporos se dispersem numa área muito ampla, mesmo sem qualquer vento verdadeiro para ajudar.
Cogumelos ostra

"Nossa pesquisa mostra que ...[os cogumelos]... são muito mais complexos... eles controlam seus ambientes locais e criam ventos onde não havia nenhum feito pela própria natureza," disse o professor Emilie Dressaire, do Trinity College em Hartford, Connecticut. "Isso parece incrível, mas os fungos são engenheiros geniais."
Shiitake

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Resenha de Cisne


Mais uma resenha para o veterano da turma, isto é, Cisne! resenha é do blog parceiro Hey Karol, e Karol, como muitos, no início se intimidou com o tamanho do "monstrinho". Mas, pela resenha, a leitura valeu a pena!

Link da resenha aqui, com uma interessante batalha de capas no final. Deixo com vocês um pedacinho do último parágrafo da resenha. Karol, muito obrigada pela leitura! Cisne (tripulação e autora) agradece!

"Enfim, Cisne foi uma das minhas melhores leituras do ano de 2014, apesar de ter demorado tanto. Às vezes uma pausa de alguns dias era necessária para assimilar tanta informação, como se fosse uma "depressão pós capítulo"."

Eu nunca tinha ouvido falar de depressão pós-capítulo...

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Leituras atrasadas mais uma vez





É muito relatório de leitura atrasada! 


Aqui estão os autores internacionais lidos nos últimos meses (entenda-se: meses finais do ano passado). Até eu me espantei com a quantidade de livros lidos assim, no mais, sem maiores pretensões...



Quebra de Confiança - Harlan Coben, editora Arqueiro, 271 páginas. Foi um livro gostoso de ler, mas o final era previsível. Como sou "filhote" de Agatha Christie, é difícil não achar defeitos em livros de detetive.

Poseidon - Anna Banks, editora Novo Conceito, 285 páginas. Para uma aficcionada por mar, é óbvio que era um título muito atrativo. Boa história, mas previsível também. Deu pra sacar o lance final bem antes do fim. Sim, sei que sou uma chata.

Bruxos e Bruxas - James Patterson, editora Novo Conceito, 286 páginas. Começa bem, mas, sei lá... Depois fica chato. Esperava mais de um livro tão badalado. Comecei a ler o segundo volume e estou eternamente na metade, passando outras leituras na frente.

Perdido em Marte - Andy Weir, editora Arqueiro, 335 páginas. Este foi uma grata surpresa! É uma ficção científica "às antigas", com o máximo cuidado em apresentar situações, emergências e soluções verossímeis. Adorei! Nota 10 e leitura imperdível para quem gosta de ficção!

Tempest (367 páginas) e Vortex (384 páginas) - Julie Cross, editora Jangada. É uma viagem no tempo bem diferente do habitual. Leitura que exige atenção. E um protagonista que me irritou diversas vezes. E tenho a sensação de que a autora vai se perder na hora de fechar a história. Tem pontas soltas demais, cada mais sem sentido do que a outra. Quero só ver como ela pensa em terminar isso sem um final paraquedista.

Assassin's Creed - Renascença - Oliver Bowden, editora Galera, 359 páginas. Também esperava mais do livro. E o final é um autêntico paraquedista. Blerg. Odeio finais paraquedistas, tipo despenquei-no-livro-porque-o-autor-precisava-uma-coisa-de-impacto! Final que se preze deve ser costurado desde a primeira linha. E tenho dito.

Acampamento Shadow Falls - Nascida à Meia-Noite (315 páginas); Levada ao Entardecer (384 páginas); Sussurros ao Luar (382 páginas); Escolhida ao Anoitecer (408 páginas); Desperta ao Amanhecer (348 páginas) - C. C. Hunter, editora Jangada.
A ordem dos livros não é exatamente esta, mas, como os volumes não tem números, vai assim mesmo. Não sei por qual impulso comprei o box com os cinco livros, mesmo nunca tendo ouvido falar deles (provavelmente teve MUITO a ver com alguma oferta da Amazon). Acampamentos, jovens especiais, a garota que precisa descobrir quem é... Parece receita batida. Mas a série foi uma surpresa tão grata que li os cinco livros numa sentada só, muito depressa! Para quem gosta de fantasia, é uma leitura recomendadíssima!

Garota Tempestade - Nicole Peeler, editora Valentina, 277 páginas. Boa leitura, com sobrenaturais bem diferentes do habitual. Mas também esperava mais do livro.

Magya - Septimus Heap - Angie Sage, editora Rocco, 528 páginas. Outra leitura inesperadamente boa! Este é o primeiro livro da série e até pretendi comprar os demais, mas a Rocco não tem noção na hora de colocar preços nas coisas. Desisti.