quarta-feira, 25 de junho de 2014

Malévola


Anteontem, dia 23, meu marido e eu fomos finalmente assistir Malévola. Dei a mim mesma essas 48 horas antes de comentar o filme para controlar a vontade de falar demais e encher vocês de spoilers!

*** TURMA QUE ESCREVE FANTASIA: se quiser, pule direto para o final do post! Tem recado específico para o nosso time... ***

Tinha do filme apenas a ideia geral - uma releitura de A Bela Adormecida, agora do ponto de vista da vilã - até que uma amiga (obrigada, Martha!) divulgou um post com a análise psicanalítica do filme. Não havia aviso algum de que o post contaria o filme inteiro, que é o que acontece; no entanto, se houvesse, minha curiosidade faria com que eu lesse da mesma forma, uma vez que spoilers não fazem diferença quando o enredo é realmente bom. Portanto, estão avisados: o post é excelente, principalmente se você for da área de Medicina e/ou Psicologia, mas conta o filme todinho! O link é este. Lido o post, fiquei ainda mais curiosa a respeito do filme, e fui para o cinema bem ansiosa e cheia de expectativas.

Resumindo: depois de ver Malévola, não há mais como ver A Bela Adormecida da mesma forma! O filme é sensacional, um daqueles que vai se tornar cult, se é que já não é.

Passei por diversos links e posts antes de escrever o meu, e olhem, não há falta de opiniões sobre o filme! Há aqueles que, como eu, adoraram. Há os que acharam monótono. Há quem considere que muitos pontos poderiam ter sido melhor explorados. 

Há, principalmente, uma pilha de gente dizendo que o filme se sustenta na interpretação de Angelina Jolie, que é, sem dúvida, uma Malévola cheia de personalidade e extremamente convincente.

Minha opinião sobre quem diz que o filme se sustenta na interpretação de Angelina Jolie: o truque de um grande ator é se entregar ao seu personagem, e é isso que Angelina faz, quando se entrega à Malévola. É Malévola, sua personalidade, sua história e seu amadurecimento que brilham no filme. Não há Jolie. Há Malévola. Isso caracteriza Jolie como uma atriz estupenda, e Malévola como uma personagem carismática e poderosa. 

(Outra situação em que isso aconteceu foi com a entrega de Heath Ledger ao Coringa. Estou convicta de que foi o Coringa quem matou seu ator. Há personagens que são fortes e loucos demais para um ator se entregar assim. Malévola é forte, mas não é louca.)

Entre os posts que visitei, separei para vocês:

1. A Misandria de Malévola - link
Não faz mal aprender palavras novas, e misandria foi a palavra da vez, rsrs! Achei o post interessante, com uma visão bem masculina (e muitas vezes machista) do filme. Coloca o filme numa perspectiva feminino x masculino, mas acho que não é o caso. Tudo bem, o bandido é homem, mas alguém precisa ser o bandido da história. Para mim, o filme focou mais em Moors (reino das fadas, de paz e felicidade) x Humanidade (apresentada em suas piores facetas de ganância, violência e estupidez, que são concentradas nos representantes da Humanidade, os reis). Paz, felicidade e prosperidade num reino bem do lado do reino humano? É completamente óbvio que os humanos vão se meter por lá, e que, se entrarem, vão destruir tudo no pretexto de conquistar. Isso não tem a ver com homens e mulheres. Tem a ver com a mentalidade, critérios e valores. O texto linkado acima tem alguns spoilers, mas nada de contar o filme todo (se bem que, para bons entendedores, meia palavra basta). Outra coisa: vale a pena ler os comentários, o pessoal se entusiasmou e há algumas boas discussões! Umas desnecessárias, tudo bem, mas há outras bem divertidas.

2. Cabine Literária - link
É um post que fala mais do filme em si, e o crítico esperava mais do filme. Mas gostei do post, por isso estou acrescentando aqui, para quem quiser ver. É uma visão diferente da minha.

*** TIME QUE ESCREVE FANTASIA ***

Em uma frase: não deixem de assistir esse filme, de jeito nenhum! Nossos mundos fantásticos e mágicos tendem a seguir uma mesma "versão", que é a versão A Bela Adormecida do enredo. Malévola é uma visão fabulosa do que acontece quando se sai do óbvio, abordando ângulos mais inusitados e inesperados de um enredo. Pra escritor de fantasia, é aula! Não foi ver ainda? Vai lá. Depressa! Pode gostar ou não gostar, isso fica com você; mas que é filme pra ver e aprender, ah, isso é! Aliás, se faz tempo que viu A Bela Adormecida versão clássica, ou se não lembra bem dos detalhes, olhe A Bela Adormecida antes. O forte da "aula de enredo" é a comparação entre as duas histórias, e de como tudo pode ser mudado, bastando mudar a perspectiva!




6 comentários:

  1. Ahhhhhhhhhhhhhhh que tudo!

    Sou curiosa e vou ler esse post que conta tudinho \o/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O post é ótimo, mas, repetindo, só pra quem não tem medo de spoilers!

      Excluir
  2. eu tenho a mesma opnião que vc, o livro é uma desconstrução perfeita!! adorei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Malévola já entrou para os meus preferidos do ano! :)

      Excluir
  3. Gostei muito de todos os links!! Achei realmente interessante o ponto de vista do moço sobre misandria, e também a palavra hahaha! Mas o que achei mais legal foi a análise psicanalítica do filme! Não sou da area, nunca estudei nada, nunca fiz nenhuma análise, e o pouco que li la ja aprendi um monte de coisa, e fiquei chocada (de um modo bom hahah)! *.*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também fiquei pasma com a análise! É fantástica, não é? Quanta coisa pode se esconder num filme!

      Excluir

Agradecemos seu comentário, foi lido com carinho! Volte sempre!