quarta-feira, 28 de maio de 2014

Leituras da vez

Essas são leituras recentes, não fazem parte da pilha já lida e por comentar. 

Quem me acompanha no blog, sabe que, quando fui para o evento do Trilhando Páginas no Rio de Janeiro, dia 17 de maio, fiquei encalhada duas horas no aeroporto de Porto Alegre, já dentro do avião, por causa da neblina. Mas, como sou uma gaúcha precavida que conhece as idiossincrasias climáticas regionais, levei na bagagem de mão uma boa leitura brasileira:

1. As Duas Faces do Destino, de Landulfo Almeida - Editora Novo Século, 486 páginas. 
Bem, bem... O que dizer? É aquele tipo de história que começa falsamente descompromissada e cresce aos poucos, se tornando mais e mais complexa. Vai desde bolsa de valores - sim, aquela de verdade, sobre a qual pessoas como eu não entendem lhufas, e precisam ler devagarinho para se situar - ok, bolsa de valores até ficção científica da melhor qualidade. Bruno, o protagonista, é o protótipo do cara que tem tudo que se pode desejar, menos felicidade e um objetivo. Mas nunca, jamais, Bruno imaginaria um objetivo do tamanho daquele que surge após conhecer Adriana! A vida dele, além de ganhar um ambicioso objetivo, vira de cabeça para baixo em todos os sentidos possíveis, e o leitor acompanha cada passo dessas mudanças. Percebe-se que o autor pesquisou exaustivamente sobre todos os temas que o livro aborda, de forma a tornar o texto verossímil e coerente. Os personagens são muito bem trabalhados, dos protagonistas ao convincente vilão. Passei o livro todo avaliando se ele era MESMO o vilão, e não vou entregar se estava certa ou errada. Mas, acreditem, o final do livro é uma surpresa!
Resumindo, nem percebi as tais duas horas em que o avião ficou parado, esperando haver teto para decolar. Não larguei o livro durante toda a viagem de ida, o táxi até o hotel foi de nariz enfiado no livro, e então fiz uma pausa, porque era hora de evento e de fofoquear com as amigas! Mas, na viagem de volta, foi livro na sala de espera, no voo... Terminei um pouco antes de chegar a Porto Alegre!

Segunda-feira, chegou minha encomenda, essa de uma autora internacional:
2. Alma?, de Gail Carriger - Editora Valentina, 305 páginas. Estava muito curiosa sobre esse livro, e ele não me decepcionou! Pensa que já leu tudo sobre vampiros? Se não conhece Lorde Akeldama, não, você não leu. Lobisomens? Conhece Lorde Maccon e o professor Lyall? Não? Que pena. São personagens que deixam a gente muito a fim de conhecer lobisomens! Pensa que conhece protagonistas femininas inteligentes e corajosas? Duvido que sejam mais decididas do que Alexia Tarabotti, 27 anos, uma solteirona para os critérios da Inglaterra vitoriana - porque é nessa época que a história acontece, em uma sociedade que convive com os sobrenaturais de forma quase normal. A srta. Tarabotti também é especial: ela é uma preternatural, uma rara criatura que nasceu sem alma. Por isso, ela é capaz de neutralizar os sobrenaturais nos quais toca. A cena de abertura do livro é hilária, com um vampiro principiante tentando morder a ofendida srta. Tarabotti (afinal, o vampiro pretendeu mordê-la sem se apresentar, vejam que falta de cortesia!) e perdendo as presas cada vez que a toca... A sombrinha da dama tem suas utilidades e serve até para enfrentar vampiros! Gente, acreditem: é um daqueles livros raros, do tipo de que deixou meus olhos de escritora luzindo e me deixou pensando "ah, como eu gostaria de ter escrito esse livro aqui, porque ele é fantástico!". O livro termina sua história, mas é o primeiro de uma série. O que eu fiz? Me atirei direto no segundo, doida pra saber como aquilo continuava!



3. Metamorfose?, Gail Garriger, e-book porque eu não ia esperar a chegada de um livro físico. E, bom, desse não dá pra falar sem largar spoilers a torto e a direito do primeiro livro! Então, vão lá ler os dois de uma vez pra eu ter com quem conversar, puxa!!!


domingo, 25 de maio de 2014

Asteroide com anéis descoberto por brasileiros

Uma equipe de astrônomos que inclui 11 brasileiros descobriu um asteroide com anéis!

O asteroide, com 250 km de diâmetro, orbita o Sol entre Saturno e Urano. E, para a surpresa dos astrônomos, tem dois anéis, um com 7 km e o outro com 3 km de largura, separados entre si por 9 km.

A descoberta destrói a noção de que somente planetas gigantes como Saturno, Júpiter, Urano e Netuno possuem anéis. É ainda um grande mistério a formação de anéis em torno de um corpo pequeno, porque o asteroide não tem gravidade suficiente para capturar e manter um sistema de anéis. Há a hipótese de que a colisão com outro corpo celeste, que teria sido destruído, formando assim um cinturão de detritos. Quase a metade dos anéis é formada de gelo, o que permitiu sua visualização (o gelo funciona como um "espelho", refletindo a luz do Sol e permitindo a localização de corpos relativamente pequenos).

Palavras do astrônomo Braga-Ribas, líder da equipe:
"Tento imaginar como seria estar na superfície desse corpo gelado [...] e olhar para um sistema de anéis com 20 km de largura, situado 1.000 vezes mais próximo do que a Lua está da Terra."

Deve ser simplesmente fantástico! 

Link de origem: http://www.misteriosdoespaco.com/2014/03/astronomos-brasileiros-descobrem.html

quarta-feira, 21 de maio de 2014

Futebol? Copa do Mundo?

Por que sento na frente da TV para ver o noticiário e sou bombardeada por propagandas, em sua maioria institucionais, que mostram um Brasil entusiasmadíssimo com a Copa? Olha, não é isso que vejo nas ruas, não! Não vejo uma bandeira, uma camiseta verde-amarela, nada.

Aliás, a maioria das propagandas ufanistas são da Petrobras (assim mesmo, sem acento, atropelando a gramática), mostrando como ela é uma empresa fabulosamente lucrativa! Será que tem alguma coisa a ver com as CPIs que estão pipocando para investigá-la? "Petrobras cresceu X vezes em X anos"! Alguém por aí tem o gráfico do "Combustível subiu X vezes nos mesmos X anos"? Aposto que o combustível valorizou MUITO MAIS do que a Petrobras.

Outro lote de propagandas tenta me convencer que a Copa é uma maravilha para o país, porque, graças a ela, teremos melhores hotéis, aeroportos, ruas, saúde e sei lá mais o quê. Tem alguma lei que proíba a melhoria de aeroportos fora da Copa do Mundo? Que proíba o alargamento de ruas e a construção de viadutos? Pra que esse país louco precisa de uma Copa do Mundo pra melhorias na mobilidade urbana?! Não devia ser NORMAL? Assim: precisa alargar essa rua, alarga e fim? Mas não. Teremos todas as melhorias graças à Copa, ta-daáááá!

Moro em Porto Alegre, uma das cidades-sede. Ruas e avenidas que contavam com duas pistas tiveram uma interditada para as "melhorias". O dinheiro acabou no meio, as obras foram abandonadas e, onde antes havia duas pistas, agora há só uma. A outra é um buracão que se alastrou até a calçada. Ou seja, estamos piores do que estávamos antes disso tudo começar. Obras finalizadas? Talvez, no entorno do Beira-Rio. Mas ainda não temos certeza.

Aeroporto: meu voo para o evento no RJ deveria ter saído às sete e meia da manhã do sábado. Mas a cerração, nome de nossa neblina gaúcha, fechou o aeroporto DURANTE DUAS HORAS. A Copa é em menos de um mês. Cadê o tal GPS de avião (cujo nome técnico sempre esqueço, desculpem) para decolar e pousar sem visibilidade? Devia estar operando faz meses. Chegando ao RJ, pousei no Galeão. Meia hora para as malas darem as caras na esteira, tapumes por todo o lado, escadas interditadas... E todo mundo avisando que não vai ter mais obra até depois da Copa, não senhor. 

Estou com a terrível sensação de que isso não vai ser uma Copa do Mundo, mas sim um tremendo Mico para o Mundo...


segunda-feira, 19 de maio de 2014

Tomando vergonha na cara - leituras de JANEIRO, PUXA!!!

Então, começando a "Parte 2" de leituras de janeiro, tem na minha lista:



1. O Caminho do Mel - Ton Adalclê - um pequeno e encantador e-book Amazon de 29 páginas. É uma leitura rápida e linda de uma menina que, durante algumas horas do dia, torna-se uma abelha aprendiz. A história é curtinha, não dá pra contar mais sem acabar em spoilers...



2. Cartas para um Pai - Janaina Rico, Editora Modo, 206 páginas. Outra leitura muito rápida, peguei o livro e só larguei ao terminar. Toda a história é contada em forma de cartas, que são escritas por Juliana, a protagonista. Ela passa as férias em João Pessoa e, além de fotos e de excelentes recordações de um intenso amor de verão, descobre que trouxe também uma gravidez! As cartas revelam os sentimentos, dúvidas e, principalmente, a teimosia de Juliana, que decide que será mãe solteira e fim. Suas percepções sobre as mudanças no corpo, hormônios e mentalidade da mulher durante a gravidez são, na ordem: 1. corretas; 2. exageradas como toda a grávida; 3. sinceras; 4. hilárias muitas vezes! Se você quer ler sobre uma garota guerreira e teimosa, mas tão gente quanto eu e você, recomendo a leitura!
Trechinho em que me matei de rir:
"Não existe a mais remota possibilidade do meu filho se chamar "Anderson Júnior". Raciocine comigo, fiquei verde quase três meses, o meu peito quadruplicou de tamanho - e tenho sérias dúvidas se um dia ele vai voltar a ser bonito, minha barriga se transformou em uma coisa completamente esquisita e pareço uma cobra que comeu uma melancia. Se alguém deveria ser homenageada seria eu, e não você."
Palmas para a Juliana, rsrs!

3. Crônicas de Myríade - Livro 1: Línguas de Fogo - Karen Soarele, Editora Cubo Mágico, 215 páginas. Mais uma ótima fantasia nacional. Estamos em Vulcannus, no reino de Myríade, onde os guerreiros mais importantes têm poderes relacionados ao fogo. A protagonista é Aisling, uma garota que, com certeza, teria preferido não ser protagonista de nada... Mas seu melhor amigo é ferido em um ataque à sua vila, e por sua culpa, de modo que Aisling parte numa arriscada viagem para encontrar um modo de salvar Dharon. Nesta viagem, conhecemos mais do mundo criado por Karen, e acompanhamos a firme determinação de Aisling, que a leva muito mais longe do que ela algum dia imaginou que poderia ir. E fim. Sem spoilers.

4. O Homem Perfeito - Vanessa Bosso, e-book Amazon... e eu fui lá na Amazon ver quantas páginas tinha, e o e-book sumiu. Acho que, estranhamente, tem algo a ver com o recente contrato da Vanessa com a editora Novo Conceito...
Mas, enfim, Mel é uma publicitária muito cabeça-quente que, embora cheia de motivos, não devia ter chutado (literalmente: chutado com o pé) seu namorado-chefe em plena reunião de negócios, e justamente naquele ponto nevrálgico masculino. Foi despedida, é claro. E, é claro também, foi procurar colo com os avós, em Parati. Lá em Parati, Mel reencontra velhos amigos e um antigo amor, que está prestes a se casar com sua maior inimiga. E daí já viu, né? É a maior confusão até o final do livro, estrelado magnificamente por Mel, A Esquentadinha, e Bernardo, o homem perfeito e um cara que, definitivamente, não existe no mundo real. Ainda bem que existe nos livros da Vanessa, porque seria uma tremenda perda para o mundo feminino deixar de conhecer o Bernardo! É diversão garantida do começo até o fim, e é outro livro que a gente só solta ao terminar. Não tem como largar no meio, pode acreditar!

domingo, 18 de maio de 2014

Trilhando Páginas - Livraria Travessa Leblon, Rio de Janeiro - 17.05.2014

De forma (quase) inédita, eis que sai a postagem no dia seguinte ao evento! As fotos também já estão no Face, neste link.
Turma quase completa, faltou apenas o Marco. Da esquerda para a direita e de cima para baixo, Anne Lanes, Bhya Cortes, Denise Flaibam, Keila Gon, eu, Dani Casquet, Mari Scotti e Vivian Pitança

Como diz o título, esse evento aconteceu na Livraria Travessa - Leblon. O térreo da livraria é um paraíso de livros, no qual não me arrisquei devido à pilha de 50 livros empilhados para serem lidos, fora os e-books da Amazon. O evento aconteceu no segundo piso, que é mais um mezanino... E esse não é tão paraíso assim. Tem um monte de degrauzinhos que a gente só nota quando já tropeçou neles, montes de partes envidraçadas que não combinam com os tais degrauzinhos, e um monte de espelhos em lugares tão inesperados que, honestamente, me confundiram em alguns momentos. Em resumo, é um lugar de alta periculosidade para uma desastrada como eu.

Olhando o book trailer das amigas

Mas é claro que probleminhas como esses não intimidam um time de intrépidas autoras nacionais! Complica um pouco mais quando, no dia do evento, apesar de pilhas de e-mails trocados com a necessária antecedência entre a Keila e a Travessa, descobre-se que a livraria simplesmente esqueceu de encomendar os livros para serem vendidos! Isso sim, aborreceu bastante o povo todo. Aborreceu até mesmo a mim, que nem tinha livros para serem pedidos (Cisne está esgotado e Linhagens está temporariamente indisponível). Ninguém gosta de ver seu evento tratado com tanta negligência.

As intrépidas autoras nacionais acima mencionadas consideraram isso problema da Travessa, que sediou o evento sem lucrar um centavo (bem feito!) e seguiram em frente, porque o evento não pode parar!

Do grupo Trilhando Páginas, presentes Keila, Bhya, Mari, Denise e eu; ausentes Bruna e Camila, por motivos pessoais. Autora convidada, Vivian Pitança. Autores amigos na plateia, Marco de Moraes e Anne Lanes. Plateia essa, aliás, lotada de muitos sorrisos conhecidos, e outros que conheci no evento. Agradecimentos especiais a Dani Casquet, que aluguei como minha fotógrafa. Muito obrigada pela gentileza e disponibilidade, Dani!

Depois da apresentação dos book trailers e dos livros, veio a parte que eu mais gosto: as perguntas da plateia. E é sensacional quando o pessoal participa com perguntas, comentários, e o evento se torna um grande bate-papo entre amigos! Tem acontecido em todos os eventos do Trilhando Páginas dos quais participei; ontem não foi exceção. A turma estava um pouco tímida no começo, mas depois perguntou, comentou e participou um montão! E, no final do evento, teve sorteio de livros, brindes... A Keila agitou um bocado as blogueiras ao sortear, impressos, os cinco primeiros capítulos do tão esperado Sombras de Primavera, que vai ser lançado na Bienal de São Paulo. Gostei da ideia. Vou pensar no assunto...

Aos cariocas, mais uma vez obrigada pela presença, pelo carinho, pelas salas sempre cheias de gente interessada. Às blogueiras presentes, obrigada pelo apoio. E, por favor, parceiras, IDENTIFIQUEM-SE! Ainda não conheço todas, lembrem que a gente só se vê por fotos no Face e eu não sou boa com rostos, rsrs! Ainda vou colocar crachás com nome + blog em todas vocês. Assim não pago micos (King Kongs!), não passo por mal educada nem nada do tipo!

E, às amigas autoras, obrigada pela oportunidade de, mais uma vez, estar entre um grupo que se atropela para falar tanto no evento quanto fora dele! É ótimo estar entre um grupo com os mesmos problemas, começando por insônias e estafa causadas por personagens e enredos, e terminando em broncas com editoras e livrarias! Meninas, é só quando estamos juntas que isso acontece, E EU ADORO!!! 
Autografozinho básico
A fofa da tarde: Bebella, filha da Dani

segunda-feira, 12 de maio de 2014

Uma geração. Todas as decisões. - a série

Uma das perguntas mais frequentes sobre Uma geração. Todas as decisões. é: quantos livros serão? 

Minha honesta resposta é: não sei. E não sei realmente. Primeiro, porque sempre escrevi no computador e agora sei que, quando um arquivo de computador se torna um livro, muda MUITO de tamanho. Segundo, porque publicar sempre implica em revisar, o que quer dizer incluir, cortar e mudar coisas. Então, os arquivos iniciais se modificam.

E é uma história diferente.

1. Tem montes de personagens. Sim, sei que parecem muitos. Mas cada um deles será protagonista em algum ponto do enredo. Cada um tem sua história, seu passado, sua personalidade. Todos são indivíduos, e não nomes jogados no texto para fazer volume.

2. Tem uma escola onde a turma vai se reunir, todos estão felizes com a aprovação e ansiosos para chegar lá, mas eles demoram a chegar a Champ-Bleux. Vocês precisam conhecer cada personagem ANTES de eles se juntarem, ou vão se perder na história.

Parêntese. Breterech, Steve - unidade 1-5-0 , que está na Amazon (link), foi criado para isso: para vocês conhecerem o personagem Steve Breterech, um dos grandes movimentadores da história. Ou seja, ele é um dos grandes encrenqueiros de plantão, e a short story explica os motivos. Fechar parêntese.

3. Podem, por gentileza, parar de tentar encher meu enredo de parzinhos românticos? Vocês não fazem a menor ideia de quem vai ficar com quem, acreditem! Mari Scotti, isso é especificamente contigo, rsrs. É spoiler dizer o que NÃO vai acontecer? A Peggy NÃO fica com o Tim. Desistam.

Bem, voltando ao começo do post, ou seja, número de livros.

Não sei quantos serão no total. Mas já sei quantos livros fecharão o primeiro arco da história, e creio que esse é um número que interessa a vocês, não?

SERÃO 4 LIVROS

Capa da primeira e da segunda edição
1. CISNE - o livro que inicia a série. 
Nele, além de diversos personagens importantes, é apresentada uma Terra diferente, sua História, seus motivos; é apresentado, ainda que superficialmente, outro mundo, que é Tarilian. Os leitores são informados de que pessoas com habilidades mentais especiais são capazes de maravilhas, que o Império Atlante existe, que muitos mundos pelo espaço afora conhecem a Terra, embora a Terra não os conheça. CISNE foi feito para apresentar tanto personagens quanto ambiente, no seu sentido mais amplo. Quem já o leu, pode garantir que não é uma apresentação monótona. É um livro que começa devagar, para dar tempo a vocês de se familiarizarem com os personagens. Mas logo coisas, coisas e mais coisas começam a acontecer, a ponto de as relações diplomáticas entre Terra e Tarilian dependerem do que vai acontecer a bordo do veleiro solar Cisne, um dos maiores biolaboratórios flutuantes do planeta. Disponível na Amazon, link aqui.


2. LINHAGENS - que segue exatamente de onde CISNE termina, a ponto de iniciar com o mesmo parágrafo que encerra CISNE. Se os Melbourne, que são a tripulação do Cisne, pensavam que tinham problemas antes, logo mudam de ideia. O que deveria ser uma parada de rotina logo se torna uma grande interrogação, quando encontram um milhar de focas mortas em uma reserva ecológica. E então o lógico e real deixam de fazer sentido, porque todos se veem envolvidos em situações que nunca poderiam imaginar. Todos precisam trabalhar juntos para sobreviver. O mundo de Tarilian, suas poderosas Casas e Linhagens surgem com força em LINHAGENS, tomando mais de metade do livro. Um novo personagem entra pra valer no enredo: Peter, o impetuoso Herdeiro de Merine. Ele e Peggy, juntos, são, sempre foram, uma dupla imprevisível e explosiva. Pequenos problemas e dúvidas são resolvidos, apenas para dar lugar a outras MUITO maiores. Se você espera esclarecimentos em LINHAGENS, vai encontrar, e muitos. Mas cada um deles mostra que a meada da história está a recém começando a se desenrolar. Disponível na Amazon, link aqui.

3. TALISMÃS - que também inicia de onde LINHAGENS termina, para que eu não seja assassinada por algum leitor mais exaltado. As Casas tarilianas continuam a ter grande destaque, assim como seus Talismãs. O sadar, o Talismã da Grande Casa de Tarilian, é a arma mais poderosa de seu mundo, mas logo vai mudar de mãos. Um antigo Talismã terráqueo também se envolve na história. Em eras passadas, foi um dos mais respeitados da Terra, mas, agora, está apagado, adormecido... Esperando as mãos corretas para despertar todo o seu poder. É o lendário Talismã Quádruplo de Crialelar, o maior Talismã dos povos Criale. Não sabe quem são os Criale? Certo, eu digo: são os tritões e sereias. Vá ler LINHAGENS, puxa vida! Que falta de cultura. Em TALISMÃS, a história volta para o Cisne e os Melbourne, que terão convidados nessa etapa da viagem. Claro que há alguns sustos, o veleiro solar quase é destruído por algumas (spoiler) e, apesar de todo estropiado, o Cisne é obrigado a desaparecer em velocidade máxima do que deveria ser seu local de pesquisas. Tem muita gente, naquele barco, se perguntando o que diabos ainda falta acontecer na viagem.

4. AINDA SEM NOME - que é o livro que encerra o primeiro arco da história. Sabem o toque de reunir, aquele chamado mental encarregado de reunir mentes especiais? Pois é, deveria reunir a turma na Escola Avançada de Champ-Bleux, mas é tão potente que muitos deles se encontram pelo caminho, antes de chegar na Escola. Como bons adolescentes aventureiros, decidem esquecer de todo o bom senso e prudência (que mandaria os srs. filhos de cientistas famosos irem DIRETO, de jato, para dentro de Champ-Bleux) e excursionar até a Escola Avançada de mochilas nas costas, no que deveria ser um tranquilo passeio de quinze dias. É claro que o passeio não é tranquilo. Não poderia ser, com o grupo Melbourne esbarrando direto em Steve e Harmon; consequentemente, em Michele e Anton também. Tentem imaginar o que acontece quando uma família cheia de irmãos superprotetores (leia-se Teo, Ted, Tim e Tom) encontra com Steve e sua mania de dar em cima de tudo que usar saia? O que acontece quando Cheli, Anton e Harmon se reúnem, com Steve rondando e tentando entender o que há entre os três? Não bastasse isso, vão encontrar uma colega de unidade que tem - tcharans! - uma Pérola de Crialelar (não sabe o que é uma Pérola de Crialelar?
Vá ler Breterech, Steve. O link está lá em cima!). E, para a turma que curte romance, vai ter uma pilha de gente se apaixonando, achando que se apaixonou, se encantando e se desentendendo ANTES de chegarem a Champ-Bleux. Eles vão chegar à Escola com os rolos já formados.


Como o primeiro arco encerra? Com a chegada deles à Escola Avançada de Champ-Bleux, que vai precisar de excelentes alicerces para aguentar essa turma!

terça-feira, 6 de maio de 2014

Maravilhas do Mar: bailarina espanhola



Retomando estes posts sobre mar há muito abandonados, e com a firme intenção de não abandonar mais, trago hoje para vocês a BAILARINA ESPANHOLA, um nudibrânquio (lesma do mar) que ganhou este nome pelas cores vivas de sua "saia" e porque, como se não bastasse isso, ela nada como se estivesse dançando!




A maioria dos nudibrânquios mede apenas alguns centímetros de diâmetro. 
A bailarina espanhola pode chegar a meio metro! 
Seu corpo armazena toxinas obtidas a partir de sua alimentação (esponjas-do-mar e anêmonas). Isso protege a bailarina e seus ovos de predadores.




Existem duas espécies reconhecidas: uma que é predominantemente vermelha (Hexabranchus sanguineus) e vive no Mar Vermelho, Oceano Índico tropical e Oceano Pacífico, e outra (Hexabranchus morsomus), que vive no Caribe.



Como pode ver, nenhuma vive perto da Espanha. O nome foi devido à sua maneira de nadar, que é mesmo espetacular!



Tem dois vídeos curtinhos, se quiserem ver. O bichinho é mesmo show, e requebra pra valer, rsrs!

domingo, 4 de maio de 2014

OVNIS domésticos?




Estava há um tempão com esse post engatilhado, porque acho esse tipo de nuvem simplesmente sensacional. 







Fala sério, parecem mesmo discos voadores, né? 





Explicação meteorológica: as nuvens lenticulares têm forma de lente (óbvio!) e aspecto suave. Formam-se nas proximidades ou sobre montanhas, quando o ar quente/frio bate na montanha e sobe de repente, encontrando uma temperatura diferente lá em cima. Aí se condensa, formando a nuvem lenticular, que não se move. Fica paradinha em seu lugar, sobre a montanha.

Tudo muito lindinho,
inclusive as fotos, 
todas elas com cara de nuvem. 

MAS...
(veja maaais pro fim do post!)








Fui pesquisar pra não falar besteira, e eis que Mr. Google informa que houve nuvens dessas aqui em Porto Alegre, no dia 27 de janeiro deste ano. Eu não vi. E as fotos não são parecidas com nenhuma das anteriores. E, pra piorar, não tem montanha aqui em Porto Alegre... Vai entender! Ou então não vai entender. Ou então nem dá palpite que é melhor... Eu, hein!




sexta-feira, 2 de maio de 2014

Cisne - resenhas!


Cisne já é o "irmão mais velho" da turma, mas continua agregando novos fãs e entusiastas!

Hoje, o veterano recebeu duas novas resenhas. A primeira foi da Thais, do blog Clube do Livro. Link aqui.
Frase preferida, curtinha e linda, suave canção para os ouvidos de qualquer autora:

"Se fosse possível escolher uma palavra que defina Cisne, escolheria original."

A segunda resenha foi da Cinthia, do blog Surtos Literários. Só tenho a dizer que a Cinthia se tornou uma fã entusiasmada de Cisne e sua tripulação! Avaliação 5/5, link aqui.
Frase preferida, outra daquelas curtinhas e lindas, que me deixou olhando e olhando e olhando e achando fantástico...

"O livro dessa autora causa perplexidade ao leitor, envolvendo aventura, ficção científica, comédia e uma boa dose de história e lendas antigas - fantasia. Em resumo, o livro dela é uma simples complexidade, feito para aqueles que amam pensar!"

Então, seguinte: Cisne, sua tripulação, os amigos da tripulação e a autora estão se sentindo insuportavelmente orgulhosos hoje! Estou rindo sozinha!



quinta-feira, 1 de maio de 2014

Leia até o final. Ou leia só o final, se quiser!

Já escrevi e apaguei este post umas dez vezes, pelo menos.

Era para ser sobre o Mochila Literária de Curitiba, que aconteceu no dia 27, domingo. A tarde estava nublada e com cara de chuva, 99% de Curitiba estava fechada e, apesar de eu não conhecer a cidade, me pareceu que nosso evento não foi na área mais central da cidade.

Mesmo assim, os valentes autores, leitores e blogueiros estavam lá, falando sobre literatura, rindo, conversando, trocando ideias. Não foi um evento grandioso; foi, isso sim, um evento muito legal, com público muito participativo e bem humorado.




E agora vamos ao motivo do post ter sido escrito, reescrito e re-reescrito: o local. 


Nosso evento foi na Manticore Game Store, onde fomos recebidos com toda a atenção e carinho. O Caco, responsável pela Manticore com quem mais conversei, se mostrou um entusiasta tanto dos seus games quanto de literatura nacional. Lá na game store há uma linda prateleira com diversos títulos de ficção e fantasia, muitos dos quais nacionais. A ideia do Caco é ampliar a estante para que seus clientes e amigos, fãs de games, se interessem também pela nossa literatura.

Você mora em Curitiba e quer comprar Cisne, Linhagens, Almakia I e II, Devoy I e II, Rosa Imortal e outros livros de autores que participaram do evento? 

Não vá às livrarias. Elas não têm tempo para autores nacionais, não têm datas para seus eventos e, em sua maioria, tampouco têm nossos livros em suas prateleiras.

Vá lá na Manticore Game Store, onde nossos livros têm seu lugarzinho bonito e de destaque. Vá lá, porque lá, pelo jeito, tem gente que aprecia literatura brasileira de verdade.

Em Curitiba, o único - único, vejam bem, em uma capital daquele tamanho - local disponível para o evento foi a Manticore. Em Floripa, o Mochila Literária foi cancelado por falta de local, apesar de todo o esforço da Lígia Colares.

E isso se repete, se repete, se repete.

A cada evento, é uma verdadeira odisseia conseguir local. Livrarias nos ignoram, locais de evento estão ocupados / fechados / indisponíveis, e a turma da organização quase solta foguetes quando consegue acertar o local um evento depois de ter tentando marcar em mil e um lugares!

Sabem o que eu gostaria, de verdade?! Que nosso grupo, aquele que foi lá na Manticore, se torne forte, famoso, top de linha! E que então a gente volte lá na Manticore, naquele pessoal legal que acreditou e abriu espaço para a Literatura Nacional, num evento daqueles de literalmente fechar a rua! Um dia. Um dia!!!

MANTICORE, obrigada! No que me diz respeito,
NÓS VOLTAREMOS!