domingo, 30 de março de 2014

Nebulosas

Poderia escrever um texto imenso, mas a beleza das imagens fala por si. Cada uma tem o link da informação original.

Maravilhem-se!
Imagem:/ ESA / Hubble Heritage Team NASA (STScI / AURA)

Nebulosa Cabeça do Macaco vista pelo telescópio Hubble, mostrando uma coleção de nós esculpidos de poeira e gás.


Área de formação de estrelas na nebulosa de Orion


Crédito de imagem e direitos autorais: Ian afiada
M78, na constelação de Orion com uma coluna de poeira (negra) e estrelas recém-formadas.


Adoraria ter um telescópio para ver ao menos uma parte dessas imagens fantásticas... Por outro lado, difícil ia ser SAIR do telescópio e fazer outras coisas!

sábado, 29 de março de 2014

Trilhando Páginas


O evento foi no dia 22 e hoje é dia 29, mas tudo bem! :) Precisei de tempo para organizar tudo direitinho, e sábado é dia especial para uma postagem especial!

O local: Saraiva de Campinas, linda, arrumada e organizada, com o Diego nos assessorando em tudo que foi necessário.

A data: 22 de março, sábado de tardezinha.

A turma: Bruna Camporezi, da qual eu já estava com uma longa saudade. Keila Gon, uma faceamiga tão amiga que prefaciou Linhagens, e nós nem nos conhecíamos pessoalmente! Bhya Cortes, que conheci rapidamente no Rio, em um evento anterior. Mari Scotti, que eu também já conhecia de outras ocasiões. Denise Flairbam, de quem me desencontrei por pouco na Bienal do Rio de Janeiro. E Camila Dornas, que não pôde comparecer. Não vou nem falar dos livros de toda essa turma. Descontando os da Bhya, já li todos! São excelentes. Mágoa especial para o meu Warthia, que continua sem autógrafo... É isso que dá se desencontrar das pessoas!

Convidada especial: Helena Andrade, de Campinas. Só tem gente legal em Campinas?

Equipe de apoio: vamos no genérico, para vocês entenderem que turma especial! Ana Paula, do blog Livros de Elite, assessorando em tudo e fazendo a cobertura em nome do blog; Diego, da Saraiva; sr. pai da Mari, ajudando em tudo e mais um pouco; sr. marido da Keila, nosso supervisor de som, notebook e book trailers; sr. namorado da Bruna, fotógrafo honorário e fornecedor de água para escritoras sedentas (definitivamente, o sr. namorado da Bruna parece o protagonista do livro da Bruna!)

Escritores presentes que se identificaram: Graciele Ruiz (O Senhor da Luz), Rodrigo Mendes (Atemporal) e Alexandre Apolca (Legna). Se tinha mais alguém, não fiquei sabendo.

O evento: sem palavras. Antes do evento, nós almoçamos, rimos, falamos de personagens, enredos e, fatalmente, assassinatos de personagens (Mari, a sanguinária, estava presente. Não tem como escapar). Mas, quando chegamos ao evento, parecia que tínhamos combinado direitinho íamos fazer ou dizer, porque tudo saiu perfeito! Cada uma parecia saber o que dizer, quando e quanto. Ninguém se atravessou na fala de ninguém. Sorrisos na mesa o tempo todo, brincadeiras e risos. A plateia foi a melhor que já vi, cheia de perguntas interessantes e pertinentes, que nos revezamos para responder. O que dizer? Ambiente cem por cento incrível! Motivo? Ah, sei lá, mas, se fosse apostar, apostaria no astral fantástico de nossa anfitriã, Keila Gon (eu não sei colocar estrelinhas e coraçõezinhos aqui, mas considere colocados, Keila). Quando eu crescer, quero aprender a ser uma anfitriã tão perfeita e fofa quanto você! :D

Fotos: recolhidas da internet, álbum aqui no link. Ainda faltam as do sr. namorado da Bruna

(Como é que a gente marca tudo no álbum, vai abrir e descobre que precisa marcar todo mundo de novo?! Ô Face louco!!!)

Resumo da coisa: ESTOU ANSIOSA PELO PRÓXIMO EVENTO, MENINAS!!! Adoro vocês todas!!!

quinta-feira, 27 de março de 2014

Ponte-Dragão




Vi a foto no Face, achei sensacional e saí pesquisando.
Achei até um vídeo, que coloquei no final.



Essa ponte fantástica existe mesmo e fica na cidade de Da Nang, no Vietnam. De acordo com a tradição vietnamita, seu povo descende de um dragão e uma fada. Então, quando construíram duas novas pontes sobre o rio Han, uma delas ganhou a forma de um gigantesco dragão de metal: é a Ponte Rong (dragão, em vietnamita). 

Como todo dragão que se preze, a Ponte Rong cospe fogo em dias normais e lança água em dias de festa! É iluminada por milhares de lâmpadas de LED de cores variadas e, considerando o simbolismo que as cores têm na cultura oriental, aposto que cada cor dos LEDs remete a alguma festa ou tradição.


A cidade já tinha uma economia sólida antes da ponte. Depois dela, é claro que se tornou um ponto turístico dos mais concorridos! Afinal, quem não gostaria de ver um dragão cuspindo fogo?













A Ponte Rong custou 85 milhões de dólares e levou quatro anos para ser construída; tem 666 metros de comprimento, 37,5 metros de largura, seis pistas de tráfego e duas pistas de pedestres.

Vídeo do bichinho cuspindo fogo!





 


Conclusão: vivemos num mundo muito mais cheio de maravilhas do que imaginamos...

terça-feira, 25 de março de 2014

Ainda atualizando leituras

Na falta absoluta de tempo para organizar as informações do maravilhoso evento do dia 22, vamos com um post que já estava prontinho!

São as leituras de JANEIRO, mês que pelo menos fica neste ano. Em novembro e dezembro, com a chegada do neto, só tive tempo de correr pra lá e pra cá como uma avó deslumbrada. 

Então, vejamos:

1. A Torre das Almas - Eduardo Spohr, e-book Amazon, 16 páginas. Foi uma leitura rápida e, como sempre, muito agradável. A escrita de Eduardo é fantástica e prende sempre. De novo, eram aventuras (?) deveres (?) intercorrências (?) envolvendo anjos que, de tão humanos, parecem mais primos dos X-Men do que propriamente anjos... Como adoro os X-Men, sem problemas! Adorei.


2. Invasão - Parte 1 - A Noite em que as Estrelas Caíram - Vanessa Bosso, e-book Amazon, 276 páginas. Mais um "Vanessa Bosso" típico: 
protagonistas femininas decididas e fortes, personagens masculinos gostosos demais (a gente fica em dúvida qual é o mais gostoso, porque tem homem pra todos os gostos), um mistério logo no começo envolvendo Alena, a protagonista, que nós e uma boa parte do enredo sabem, mas a menina nem desconfia... Muita ação, muita ficção da melhor qualidade e, nesse começo de história, Vanessa mostra sua veia sanguinária e não tem pena de personagem algum. Se você gosta de livros com todos os personagens vivos no final, procure outro para ler. Se você gosta de livros que pegam o leitor e o mantém agarrado até o final, este é o seu livro! Eu só consegui largar quando terminei, e precisei de um grande, tremendo, monstruoso esforço de vontade para não comprar o restante da história. Estou tentando me disciplinar e ler antes a pilha que já tenho comprada, tanto de livros físicos quanto de virtuais. Invasão, espere. Estou voltando!


3. As Árvores Sagradas de Nod - Cristina Aguiar - e-book Amazon, 644 páginas. Esse livro continua as aventuras iniciadas em A Profecia de Hedhen. É o mesmo mundo, os mesmos personagens, mas os acontecimentos se passam vários anos mais tarde, quando os filhos dos Luminares já são jovens e descobrem que, também para eles, existe uma profecia a ser cumprida. Há a sensação gostosa de rever personagens carismáticos e queridos, há a surpresa ao descobrir que outros personagens são muito mais do que aparentavam... E há o ressurgimento de um vilão, e o aparecimento de mais um vilão que vai deixar o primeiro parecendo um cordeirinho! 
A paz dos Luminares começa a ser novamente ameaçada em Hedhen, o mal se movimenta nas fronteiras e no próprio coração do reino... E a gente lê, lê, lê e lê e, no final...
Puxa vida, sei que fui mega malvada no final de Linhagens, mas a Ana precisava MESMO fazer comigo o que fiz com todo mundo, e me deixar roendo as unhas de aflição até o próximo volume?!

Conclusão: janeiro, parte 1: 936 páginas lidas em e-book. Esse neto agita demais, rsrs! Janeiro, parte 2: será o próximo post de leituras.

sábado, 22 de março de 2014

Maravilhas do céu e do espaço


Muitas vezes me perguntaram o motivo de eu ter misturado duas coisas tão diferentes quanto espaço e mar em Uma geração. Todas as decisões. 

A resposta é simples: sou apaixonada pelos dois! Já temos, aqui no blog, as Maravilhas do Mar, que ficaram meio abandonadas nas correrias, admito. Vou retomar em breve.

Hoje, no entanto, vou iniciar uma nova série de maravilhas: as que ficam no céu ou no espaço. 

Inaugurando essas maravilhas, deixo com vocês algo que achei simplesmente fabuloso: o som dos planetas no espaço. O som não se propaga no vácuo, é claro (apesar de todos os fabulosos estrondos que acontecem durante batalhas espaciais. Esqueça. Batalhas espaciais são dramáticas, mas silenciosas). Mas ondas eletromagnéticas das mais diversas frequências se propagam, sim, no vácuo. Atualmente, telescópios dotados de microfones especialmente preparados captam essas ondas e as transformam em sons tais como os conhecemos. Abaixo, o vídeo com esses sons, feito pela NASA.

Traduzindo (o melhor que pude), a abertura, diz:
"Embora o espaço seja virtualmente vácuo, isso não significa que não há som no espaço. O som existe como vibrações eletromagnéticas. Através de instrumentos especialmente projetados, Voyager, INJUN 1, ISEE 1 e HAWKEYE da NASA usaram antenas capaz de captar ondas de plasma para gravar vibrações fora do alcance da audição humana (20 - 20.000 Hz). Os sons gravados são uma interação complexa entre partículas eletromagneticamente carregadas provenientes do vento solar, ionosfera e magnetosfera planetária. As gravações incluem anéis de Saturno, Miranda, Netuno, a voz da Terra, Saturno, Júpiter, Io, Anéis de Urano, a canção da Terra e Urano. O que se segue são partes das gravações originais."

Júpiter, o maior planeta do Sistema Solar: som impressionante e majestoso.
Miranda, uma das luas de Urano (informações sobre essa estranha lua no fim do post): som hiper ficção científica. Me lembrou Star Wars.
Netuno: canta; quase parece querer falar.
Anéis de Urano: sinos à distância?
Saturno: cheio de personalidade, canta também e parece querer papo.
Anéis de Saturno: vento? 
Canção da Terra: linda, mas triste...
Io, uma das luas de Júpiter (informações no fim do post, também): misteriosa. Estranha.
Urano: sinistro, parece vivo!
Voz da Terra: estranha, confusa... Eu não gostei.


Miranda não é um dos maiores satélites de Urano; no entanto, foi aquele de que a Voyager 2 mais se aproximou.[...] podem ser vistos em Miranda detalhes na ordem de poucas centenas de metros. Felizmente, Miranda tornou-se o mais notório de todos os satélites. Miranda é um pequeno satélite com um diâmetro de 470 quilômetros. A superfície é diferente de qualquer outra no sistema solar com formações que se entrecruzam numa forma aleatória. Miranda consiste em grandes desfiladeiros de falhas que têm até 20 quilômetros de profundidade, camadas em terraços e uma mistura de superfícies jovens e antigas. As regiões mais jovens podem ter sido produzidas por uma diferenciação incompleta da lua, um processo pelo qual a matéria mais leve derivada do interior formou a superfície em áreas limitadas. Segundo outra teoria, os cientistas acreditam que Miranda pode ter sido desfeita quase cinco vezes durante a sua evolução. Depois de cada vez, a lua pode ter sido recriada dos pedaços que restaram dela própria, ficando partes do núcleo expostas e partes da superfície enterradas. O aspecto de Miranda pode ser explicado por teorias, mas a verdadeira razão ainda é desconhecida. Dada a pequena dimensão e a baixa temperatura de Miranda (-187° C ou -335° F), o grau e diversidade da atividade tectônica desta lua surpreendeu os cientistas. Acredita-se que uma fonte adicional de calor deve estar envolvida, tal como o aquecimento por marés causado pela atração gravitacional de Urano. Além disso, algo deve ter provocado o fluxo de matéria gelada a baixas temperaturas.
Fonte: http://www.solarviews.com/portug/miranda.htm

Io pode ser classificado como uma das mais incomuns luas em nosso sistema solar. O vulcanismo ativo em Io foi a maior e inexperada descoberta em Júpiter. Foi a primeira vez que vulcões ativos foram vistos em outro corpo no sistema solar. As Voyagers observaram a erupção em conjunto de nove vulcões em Io. Há evidência de que outras erupções ocorreram entre os encontros Voyager. A fumaça dos vulcões estendem-se a mais de 300 quilômetros acima da superfície, com material sendo ejetado a velocidades de um quilômetro por segundo. Os vulcões de Io devem-se aparentemente ao aquecimento do satélite por oscilação das marés. Io é perturbado em sua órbita por Europa e Ganimedes, dois outros grandes satélites vizinhos, e puxado de volta para sua órbita regular por Júpiter. Este cabo-de-guerra resulta em protuberâncias de marés tão grandes quanto 100 metros na superfície de Io. A temperatura na superfície de Io é cerca de -143° C; entretanto, em um grande ponto quente, associado com uma formação vulcânica, mediu-se cerca de 17° C. Cientistas acreditam que o ponto quente pode ser um lago de lava, apesar de a temperatura indicar que a superfície não está derretida. Esta formação relembra os lagos de lava na Terra.[...]
Fonte: http://www.if.ufrgs.br/ast/solar/portug/io.htm 

quinta-feira, 20 de março de 2014

Amyr Klink


Cisne é uma obra de ficção, mas sempre me interessei e amei o mar. Houve uma época em minha vida em que por pouco - muito pouco! - não mudei de cidade para cursar Oceanologia em vez de Medicina. Um dos livros que mais me marcou foi "Entre o Céu e o Mar", de Amyr Klink, um verdadeiro desbravador dos mares. 

Agora, encontrei esta entrevista dele (link) no Blog do Planeta, da revista Época. É de junho do ano passado, mas o que Amyr diz vale sempre, sem se prender a datas.

Transcrevi alguns trechos abaixo, mas convido vocês a lerem a entrevista completa no link acima!

[...] Eu tenho uma experiência de 27 anos de viagens à Antártica. Em termos científicos, não quer dizer nada, mas nós começamos a perceber mudanças de alguns anos para cá. É impressionante ver o quanto acelerou a deterioração de todos os produtos de polipropileno, que é muito sensível aos raios ultravioletas. Todas as faixas, cabos, velas, que há 15 anos duravam quatro, cinco temporadas na Antártica, hoje duram apenas uma temporada. Há dez anos, era inimaginável encontrar ventos de 110 nós, que são quase 200 km/h.

[...] A Antártica é interessante porque é uma espécie de memória dos processos climáticos da Terra. Ao longo do tempo você percebe que cada coisa que foi para lá continua lá, cada fenômeno que acontece lá continua lá.

[...] Acho que houve um momento da nossa história que a gente esqueceu do mar. Eu vejo isso na cultura, na arquitetura. No Rio de Janeiro, vemos as pessoas na praia, mas não no mar. 

[...] A legislação é péssima no Brasil. A gente aplica as leis ambientais e de proteção pasteurizadamente, indiscriminadamente.

quarta-feira, 19 de março de 2014

TRILHANDO PÁGINAS - CAMPINAS

Campinas, aí vamos nós!


Só tem feras nessa turma, e tenho o grande prazer de dizer que já conheço as obras de Bruna Camporezi (amei Os Segredos de Landara!), Keila Gon (sem palavras para Cores de Outono, o Vincent, ahhhh, o Vincent!), Mari Scotti (Híbrida - só quem leu sabe quanta coisa acontece quando se mistura raças lendárias), Camila Dornas (A Linhagem e sua protagonista pra lá de decidida) e Denise Flairbam (Os Mistérios de Warthia - cadê a sequência, Denise?!). Falta conhecer só o jeitinho de Bhya Cortes escrever!

O evento será sábado, dia 22, na Saraiva de Campinas, bem no finalzinho da tarde. Assim, todos terão chance de comparecer! Haverá bate-papo, sorteio de brindes e, acima de tudo, a chance de cada um conhecer bem de perto sua(s) autora(s) favorita(s)!

Esperamos todos vocês lá, amigos de Campinas!

terça-feira, 18 de março de 2014

Minhas Leituras (atraso vergonhoso!)

Nas Minhas Leituras, vamos a uma atualização vergonhosa de tão atrasada!

Foi leitura de - pasmem! - OUTUBRO (!!!) de 2013:

A Aposta - Vanessa Bosso - ebook Amazon, 275 páginas. Como faz um "pouquinho" de tempo que li, precisei voltar ao iPad pra refrescar a memória... Resultado, li todo o livro de novo, porque é o tipo de leitura em que a gente lê um pedacinho, e só mais um pedacinho, e só mais outro pedacinho, e entra horas lendo, até que, de repente, PUF! O livro acabou! É chocante.
A Aposta é um livro adolescente e, como tudo que acontece com adolescentes, é rápido, vibrante e cheio de maluquices. Nina é a garota que, apesar de muito atraente, resolveu que vive melhor longe do sexo oposto; quando se aproxima de garotos, é pra baixar o sarrafo neles. Lex é o cara da escola pelo qual todas as meninas babam. Sabe aquela sua lista de adjetivos para um cara desses? Aposto que o Lex encaixa em mais de 90% dela. Essa dupla se envolve a partir de uma aposta criada pelo melhor amigo de Lex, o Gancho. Claro que se apaixonam, e de cara. E claro que é aí que a confusão começa, porque se apaixonar não estava nos planos de nenhum dos dois! No enredo, temos ainda amigas espetaculares, inimigas completamente odiosas, intrigas, chantagem... Um pouquinho de tudo. E, garantido, MUITA diversão! Vanessa Bosso é uma espetacular contadora de histórias, sem dúvida alguma!

quinta-feira, 13 de março de 2014

Quando penso que já vi tudo...


... Vem um povo e faz uma pesquisa, e descobre que uma em cada dez pessoas pensa que HTML é doença!

Nesse link está a reportagem completa, mas copiei as pérolas para vocês!

- Gigabyte é um inseto normalmente encontrado na África do Sul, segundo 27% dos entrevistados (sei lá, lembrei de você nesta parte, Felipe Castilho!).


- 42% disseram que Motherboard (placa-mãe) é o deque de um navio (no Cisne não tem disso, juro!).









- 23% afirmaram que MP3 é um robô da saga cinematográfica Star Wars (tá, e eu fiquei sem saber de qual robô estavam falando).







- 18% respoderam que Blu-Ray era um animal marinho (esse?).

- 77% não souberam dizer o que é SEO, que significa Search Engine Otimization — técnica usada para melhorar posiconamento de sites em buscadores (admito, esse eu não sabia).

- 15% disseram que software é uma palavra que se refere a roupas confortáveis (tênis e roupas de ginástica, talvez).

- 12% responderam que USB é uma abreviação do nome de um país europeu (URSS?).

Sei lá. Ainda estou pensando no gigabyte. Um besourão?

sábado, 8 de março de 2014

Olhos de ametista...


Aí a gente inventa um personagem com olhos cor de ametista, assim mesmo, cem por cento inventado. Nem se preocupa em ver se existe ou não existe, porque, lá no enredo, existe e pronto. E aí está de bobeira na internet, dando uma folga para os ombros doloridos de tanto escrever, o cérebro cansado e os dedos que já estão trocando letras, e o que encontra? OLHOS COR DE AMETISTA, É CLARO! E ainda por cima metidos numa síndrome genética (Genese de Alexandria) que, sinceramente, não entendi se existe ou não existe. Em todo o caso, aí vai o vídeo pra vocês...

Simplesmente ADOREI imaginar os olhos dos meus personagens bem assim!

sexta-feira, 7 de março de 2014

CISNE e LINHAGENS: resenhas!

Começando pela resenha de Linhagens, a primeira a ser postada! Foi feita pela parceira Kéziah Raiol, do blog Paixão Literária. Avaliação 5/5, favorito! Link aqui.

"Bom, não tem como eu falar muito. Vocês precisam ler e surpreender, afinal Linhagens é o típico livro imprevisível, você não tem IDEIA do que pode acontecer ao virar uma página. E é essa essência que vale mais a pena, a curiosidade aguçada a cada palavra."


Em seguida, a resenha de Cisne, feita pela parceira Caroline Evans, do blog Fantastic Books. Avaliação 5/5, link aqui. Vou colocar aqui a parte que me encheu de orgulho... (orgulho daquele bom e legal, ok? Aquele que dá quando a gente se esforça montes e vem AQUELE elogio!)

"Você simplesmente lê a sinopse e pensa que o livro irá seguir uma linha, mas na verdade ele segue várias linhas.
Quando eu terminei de ler, o que foi hoje, a ideia que ficou na minha cabeça é: esse livro pode ser o Harry Potter brasileiro.
Não porque eles sejam parecidos, não são, mas porque em potencial se assemelham."

quarta-feira, 5 de março de 2014

BRETERECH, STEVE + TALISMÃS


Como eu já disse, Breterech, Steve não é um spin-off, mas sim um lateral-off de Talismãs, o terceiro livro. Pode ser lido depois de Cisne sem problemas, pode ser lido depois de Linhagens, pode ser lido junto com qualquer um dos livros ou até antes deles e está tudo ok. 

Mas o lugar - LUGAR de verdade - dele é do ladinho de Talismãs. A parte em que ele "encosta" em Talismãs já estava prevista, é nela que estou trabalhando agora. E está ficando simplesmente ESPETACULAR, muito melhor do que eu esperava! Os srs. personagens gostaram do que fizeram no lateral-off e decidiram continuar barbarizando e me ditando o que escrever!

Ah, se vai dar para ler Talismãs sem ler Breterech, Steve? Claro que sim. A história segue paralela ao lateral-off, independente dele, mas, podem acreditar, fica MUITO mais interessante depois de se saber um tanto a mais sobre Steve!

Link da Amazon - divirtam-se!

segunda-feira, 3 de março de 2014

BRETERECH, STEVE - informações completas

E aí bate aquela súbita vontade de escrever uma coisa que não tinha nem pensado, e aí a gente está escrevendo a coisa antes de pensar se ia escrever mesmo, e aí saiu esse texto que está abaixo, e que postei lá nas resenhas do Skoob:

Bom, obviamente, não vou avaliar o livro!
Vou, isso sim, avaliar como foi ESCREVER esse livro, que me pegou de surpresa tanto na ideia de escrever um spin-off (lateral-off?) quanto no enredo!
Não tinha pensado em escrever livros paralelos à série Uma geração. Todas as decisões. Mas há tanto para ser contado sobre alguns personagens - Steve Breterech é um excelente exemplo - que, de repente, me vi concordando que ele merecia um capítulo à parte. Era para ser um conto curto. Virou algo de 27.000 palavras; um pequeno livro, portanto.
O enredo estava perfeitamente definido na minha cabeça antes da primeira palavra ir para o computador. Mas, como sempre, os senhores personagens foram colocando as garrinhas de fora, começaram a dar opiniões tipo "não, eu não faria isso" ou "não, eu NUNCA falaria desse jeito", e lá se foi o enredo derivando para lados que eu não esperava... E, quando percebi, o conto, que era para ser sobre o Steve, acaba dando a primeira explicação DE VERDADE sobre o nome da série!
Esses meus personagens são, definitivamente, terríveis! É muito difícil controlar essa turma, porque parece que eles pensam que são gente de verdade, não personagens. E daí seguram meus dedos e vão ditando o que devo escrever, quando e como.
No fundo, no fundo, acho que é desaforo da parte deles. E, no fundo mais fundo ainda, me divirto montes porque, diversas vezes, me surpreendo tanto quanto vocês, que estão lendo o conto pela primeira vez!

Oooooh, eu não tinha mencionado que Breterech, Steve explica o nome da série? Que descuido o meu. Pois é. Explica. Ou ao menos começa a explicar.

E, já que o assunto aqui é Breterech, Steve, vamos às informações completas:

Link da Amazon, para prestigiarem a escritora, AQUI. R$ 2,32, uma pechincha por uma história tão boa. Nem ônibus vocês pagam com esse valor.

Link do Skoob, para vocês marcarem como lido, desejado ou deixarem sua opinião, AQUI.

Link do começo de Breterech, Steve, no Dropbox, AQUI.

Fotinhos que orgulham a escritora:


O filhote chegando na Amazon

O filhote em primeiro em Fantasia na Amazon

Nina Oliver mandando print dele como mais vendido em Fantasia!

O FILHOTE!

Eu feliz! :)

sábado, 1 de março de 2014

Falando sério: PARCEIROS

Olá, parceiros. Quanto aos ex-parceiros, não é necessário cumprimentar, eles não estão interessados no que acontece por aqui.

Então, objetivamente: parceria pressupõe reciprocidade. Quando cada parceria foi fechada, arquei com os custos do livro (Cisne) e seu nada barato envio pelo Correio. A contrapartida dos parceiros seria a resenha e, com ela, a divulgação do meu trabalho. NUNCA (grande, vermelho, em negrito e sublinhado) impus prazos de leitura nem de resenha, porque Cisne é um livro extenso. Mas UM ANO é prazo suficiente para qualquer resenha. 

Portanto (e como tenho a data de envio de CADA livro), quando fecha um ano e um mês (o mês é por conta das confusões que o Correio já fez) do envio de Cisne, eu checo cada blog parceiro. Se a resenha não está lá, ADEUS, PARCERIA. Sem avisos, sem perguntas, sem mimimis. O nome sai da lista de parceiros do blog, o blog fica marcado na minha lista como excluído.