domingo, 22 de setembro de 2013

Troféu desconectada + PROMOÇÃO IMPERDÍVEL!











E a feliz ganhadora do troféu Desconectada do Ano é... ELEONOR HERTZOG, como sempre!!!

A Andressa, do blog parceiro Nerdices de uma Garota, fez um belo post sobre o primeiro ano de seu blog. E daí uma distante ficha emperrada começou a cair... Quando foi mesmo que comecei o blog? Fui ver. Dia 18 de setembro de 2012! Esqueci do aniversário do meu próprio blog, pode?!

Bom, sendo eu, pode. Definitivamente, pode!

Então...!

Gentes, já faz um ano, nem acredito!!! Cisne estreou em 7 de dezembro de 2012 - esta data não vou esquecer, esperem só pra ver! - seguido de Linhagens  em 1 de setembro de 2013. Em um ano de conversas, posts e comentários, o blog já tem 392 seguidores. Nada mal, para um blog que só fala de dois livros, rsrsrs! Foram 266 posts, 740 comentários publicados... 22.657 visualizações! É muuuuita coisa, e muita felicidade pra uma escritora só!

Portanto, para comemorar com vocês o aniversário deste meu "filhote" tão querido, vamos fazer uma promoção, já que não podemos mais fazer sorteios!

A PERGUNTA É:

Sua geração decide. QUAL DECISÃO, PARA SER IMPLANTADA IMEDIATAMENTE, VOCÊ TOMARIA PARA A TERRA NO DIA DE HOJE?

O PRÊMIO PARA A MELHOR RESPOSTA (A SER ESCOLHIDA PELA ESCRITORA E FAMILIARES) É:

Cisne + Linhagens + MARCADORES, tudo autografado. Se você é um dos meus queridos e fiéis parceiros, já resenhou Cisne e está aguardando o seu Linhagens  posso disponibilizar o prêmio para ser sorteado/promovido em seu blog. Se você não conhece nenhum dos dois livros e os deseja para você mesmo, que legal!

(Sim, Lígia Collares, aproveitei sua ideia, kkkk! Espero não ser acusada de plágio...) 

AS RESPOSTAS VÁLIDAS SÃO AS COLOCADAS AQUI NO POST! Vamos lá, pessoal! Quero ver o que vocês fariam pela Terra, hoje!


sábado, 21 de setembro de 2013

Item 7:

MAIS UM livro ocupando espaço no cérebro. 

Assim que soube da ideia de lançar livros "paralelos", minha amiga Martha fez uma sugestão bastante pertinente: por que não um livro contando como foi a exploração espacial? 

Minha veia "ficção científica" entrou em ebulição instantânea e escolheu, sem hesitar, a parte da exploração espacial seria tratada no livro: o início da Era dos Astronautas.

1. É quando a Terra, que foi vencida pela ciência superior de Tarilian, reassume a supremacia no espaço;

2. É quando o toque de reunir anterior está atuando com força total, tentando evitar que os desentendimentos entre os dois planetas terminem em guerra;

3. É quando uma porção de terráqueos um tanto cabeça-dura (leia-se Robert Janson) precisa encarar a existência de outros mundos habitados fora do Sistema Solar;

4. É a possibilidade de a escritora focar em duas facetas totalmente diferentes do mesmo universo: com Erestor e Aurora, uma estória de fantasia, duelos e guerras já passadas; com a Era dos Astronautas, um enredo de ficção científica, aventuras e perigos espaciais.

Preciso dizer o quanto estou ADORANDO a ideia?! E o quanto estou sem tempo para ela?!

Querem uma amostra? Olhe este link! É uma de minhas pequenas obras-primas, feita com todo o carinho e capricho. :)


quarta-feira, 18 de setembro de 2013

6 itens


Imagem de onde eu gostaria de estar...


Os amigos que me acompanham há mais tempo devem estar estranhando o silêncio do blog, onde as postagens falhavam no máximo dois dias, exceto quando estou fora de casa, porque, se já me entendo pouco com minha internet doméstica, imaginem o que é a briga com as internets "alienígenas". Desde que voltei da Bienal, o blog anda quieto. Não é porque falta assunto. É porque há tanto que a cabeça está cheia demais.

Então, aos poucos, vou contando a vocês sobre o muito que está fervendo dentro deste meu pobre cérebro sobrecarregado. 

Item 1: a incontabelésima revisão de Cisne ocupa o primeiro lugar, disparado. "Ora, mas são só os travessões, pra que tanta neurose?". Bom, resumindo, isso acontece porque sou realmente neurótica com textos. Estou colocando os travessões. Estou podando palavras a mais. Estou caçando palavras repetidas. Estou lutando pra não me estender nos parágrafos que abrem e fecham os novos e menores capítulos. Estou retirando os poucos "gauchismos" remanescentes. Estou ficando doida aqui, e jurando a mim mesma que, depois desta, NÃO MEXO MAIS NO TEXTO DE Cisne DE JEITO NENHUM. Deveria controlar minha neura revisora, mas é mais forte do que eu, admito. 

Item 2: Linhagens  novinho em folha aqui em casa me provoca a ler, e eu pego umas folhinhas por vez, porque Cisne é o meu foco. E daí, o que acontece? A neura revisora ataca Linhagens também! Vírgulas que juro que não estavam lá. Palavras que não precisavam estar. Etc, etc, etc! O que estou fazendo? Uma listinha de tudo que precisa ser mudado em Linhagens na segunda edição. Segunda edição! Acreditam nisso?! O coitado mal foi lançado, nem conseguiu chegar nas livrarias ainda, e eu já estou com lista de coisinhas a mudar! #ALouca, como vocês escrevem por aí, meninas.

Item 3: o livro novo sobre Erestor e Aurora, fora da série, motivo do post anterior. Como estou absolutamente sem tempo para ele, é total e completamente óbvio que um bilhão de ideias estão me atormentando! Espero que elas tenham a decência de se manter dentro da minha cabeça até eu ter oportunidade de escrever.

Item 4: agora, com Linhagens se agregando a Cisne  preciso mudar o release que mandava para os blogs parceiros. Para um livro inteiro, estou cheia de ideias. Para um miserável release de uma página, não aparece uma infeliz ideia decente! Ódio. Profundo, mortal, rancoroso! E os pobres novos parceiros esperando um release que não consigo montar. Desculpem. Não é falta de vontade!

Item 5: e tem o volume seguinte a Linhagens me espiando na curva da esquina, também me atolando em ideias, diálogos, situações que complementam o que já está escrito, além do "Era uma vez" de abertura, que ainda tenho que escrever. Só para o release é que não tenho ideias.

Item 6: todos os outros itens que vou deixar pra amanhã, inclusive mais um livro fora da série...

sábado, 14 de setembro de 2013

Piratas, princesas & escritora atrevida (demais?)

A Bienal foi minha primeira chance de ver, ao vivo e a cores, o susto que o tamanho de Cisne e Linhagens causam nas pessoas. Como sempre gostei de livros grandes, não vejo nada de tão extraordinário assim neles... Mas o resto do povo vê, não há como negar! E muitos - muitos, mesmo - arrepiam e desistem de ler por causa disso.

Nos dias de semana, a Bienal bomba feito louca até pelas seis da tarde, o movimento diminui bastante até as oito e meia e, daí em diante, vira quase um deserto. Como fecha apenas às dez da noite, e como sou leal aos meus parceiros de estande, esse acabava se tornando o tempo de nossas conversas! Foi nessas conversas em que sofri intenso bullying literário (não sabe o que é isso? Pergunta ao sr. meu co-editor, Marcelo Paschoalin!), e também foi nelas que me propuseram uma ideia: por que não criar livros no universo da série, mas que não fizessem parte dela? Livros para serem lidos de forma independente, que despertassem a curiosidade do leitor para os demais?

Um desses "filhotes" independentes se apresentou imediatamente e, pelo título do post, vocês, que leram Cisne, devem ter percebido imediatamente do que se trata: da peça encenada em Porto Alto pelos Melbourne, com direito a piratas de Mirta, princesa Aurora de Aral e lorde Erestor. Os personagens da peça não foram escolhidos por acaso, nem o enredo dela é um penduricalho aleatório no enredo. Como puderam ver pela reação das crianças durante a encenação, Erestor e Aurora são personagens muito familiares a todos, famosos no mundo todo. Existiram realmente (ok, "realmente", aqui, quer dizer no meu mundo, certo?) há mil anos atrás, e as consequências de seus atos e escolhas vão repercutir de forma importante nesta geração, a de agora, a que precisa decidir. Não estava nos meus planos transformá-los em um livro independente, mas...

Aurora de Aral era, sem saber, a última herdeira de uma Linhagem que estava, aos poucos, se extinguindo; lorde Erestor, seu lendário protetor, foi o último dos grandes Reis de Sarad - Palácio de Sarad, os guerreiros do Império Atlante, estão lembrados? Mesmo entre os guerreiros de Sarad, Erestor era uma exceção por sua força e habilidade na espada. E, por algum tipo de incrível coincidência, a estória deles se passa há mil anos atrás... Bem na época em que a Grande Guerra no Império Atlante estava terminando, em que os poderosos Palácios fechavam seus acessos físicos e mentais, em que o bloqueio oceânico passava a separar superficianos de atlantes... 

Bem, também posso acrescentar que, naquela época, uma geração deveria decidir, mas as coisas não funcionaram tão bem quanto deveriam.

Acho que vai dar um bom livro. E vocês, o que acham?


terça-feira, 10 de setembro de 2013

Acabou a Bienal. De volta ao lar!







Foto: meu heróóóóóiii! E ele fica olhando pro horizonte e nem me dá bola...








Oi, pessoal!

A ideia era, durante a Bienal, fazer um post por dia contando as novidades, mas dificuldades técnicas me impediram. A dificuldade número 1 se chama iPad (meus sinceros respeitos para quem consegue se entender com esse bicho neurótico e cheio de manias) e a dificuldade número 2 foi a qualidade (péssima) da internet em toda a região do RioCentro. Portanto, desculpem. Não deu. Qualquer 3G por lá vira meio-G raquítico.

E agora, quando estou diante do meu fiel computador, acompanhado da minha leal internet doméstica, o que não tenho é fôlego... Sabe assim, Bienal é algo maravilhoso, inesquecível, fantástico, exaustivo e cadê-minha-cama-minha-voz-meus-pés-meu-cérebro? Pois é! Estou bem deste jeito... Não sei nem o que aconteceu em qual dia, acreditem!

Portanto, vamos a um resumão. Bienal é uma loucura. Estou demolida depois desta e já sonhando com a próxima (#ALouca, como escrevem minhas blogueiras fofas, kkkk!). Foi incrível falar direto com os leitores e ver olhinhos brilhando quando eu contava a estória de Cisne e Linhagens. Foi sensacional conhecer gente que eu só conhecia por internet - entenda-se aqui uma turma completa de blogueiros do Rio de Janeiro, e uma turma grande que veio por vezes de muito longe! Isso sem falar nos escritores. Genteeee, que povo talentoso! Como pode ter alguém com a OUSADIA de falar mal da Literatura Nacional?! Autores que me impressionaram? Não me atrevo a fazer listas pelo risco de esquecer alguém. Mas vi Maurício de Sousa (de longe!) e banquei a tiete da Paula Pimenta, com direito a autógrafo e tudo!!!

O pessoal da nova editora, a LetraImpressa, é simplesmente demais! Os elogios se estendem à editora parceira no estande, a EraEclipse. Apoio, carinho, água gelada, bolos e sanduíches disponíveis o tempo todo! Acham que água gelada, sanduíches e bolos não deviam fazer parte da lista? Pode crer, acha isso porque não morou dentro de uma Bienal

Encerrando, a foto dos livros que trouxe na mala. Nem tem dúvida que papel é feito de árvores. Parecia que eu estava trazendo um tronco dentro da mala, rsrs!

Tudo isso pra ler, que tal?! Feliz da vida aqui!