quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Maravilhas do mar: poliquetas




Hoje vou iniciar um projeto que estava há horas nos meus planos. Como o Cisne é um barco de pesquisas oceânico, uma vez por semana o post vai ser sobre alguma maravilha do mar. 


Os eleitos para iniciar os trabalhos são os encantadores poliquetas! Então, vamos aprender um pouquinho sobre eles!


Spirobranchus giganteus é o nome científico destas pequenas joias vivas, mais comumente chamados de Vermes Árvore de Natal. 





Os poliquetas são o equivalente submerso das minhocas – mas vamos combinar, são minhocas com muito estilo, vestidas a caráter com roupas de festa! 





A parte “verme” do bicho vive em buracos feitos em corais, ou então em um tubo que o próprio animal produz. As lindas “plumas” na verdade são coletores de microplâncton, do qual os poliquetas se alimentam. 





Ao menor sinal de perigo, as “plumas” são recolhidas para dentro do abrigo, de uma forma tão veloz que mais parece que simplesmente desapareceram!



As poliquetas gigantes têm tamanho de 2,5 a 4cm, vivem a profundidades de 3 a 30 metros, e são encontradas em mares tropicais e subtropicais, principalmente nos recifes de coral do Caribe, Bahamas e Flórida.






 São de tantas cores, e tão lindos, que foi difícil selecionar as imagens para colocar aqui. Sugiro que coloquem o nome científico no Google, e se deliciem!





Encerrando, o vídeo mais bonito que encontrei:



Confiram. Vale a pena! 
 

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Uma pequena grande linda novidade

É só uma folha impressa de papel, mas é preciosa para mim. É a folha de papel que diz que Linhagens é mesmo meu, e chama-se registro na Biblioteca Nacional. Chegou hoje, meu filho recebeu, e o envelope estava me esperando, bonitinho, bem na frente do monitor do computador. 


Só vi uma outra folha impressa tão bonita quanto esta: a que registrou o Cisne, que, naquele tempo, nem chamava Cisne ainda...

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Post estritamente pessoal

 


O post não é só estritamente pessoal, é curtinho também. A insônia anda pegando com tudo e, depois de várias noites de cada vez menos sono, a noite de ontem foi infernal. Hoje, o cérebro funcionou de teimoso e trabalhou de persistente, mas, apesar de serem apenas nove horas da noite, meus neurônios avisam que sua conexão com o mundo está definitivamente falhando. Assim, passei aqui só pra dar um oi... e dizer boa noite. Espero, realmente, ter uma boa noite. Estou precisando. Demais!

Então, boa noite, pessoal! Bons sonhos a todos.

 

domingo, 24 de fevereiro de 2013

Resenhando a resenha


 Garota do Livro | Livros e Derivados.

Como eu tinha dito, domingo vai ser o dia de comentar as resenhas recebidas pelo Cisne!

A resenha que vou comentar hoje foi a segunda que o Cisne recebeu. Foi feita pela Katrine, do blog parceiro Garota do Livro.

Primeira frase da resenha:
"A história gira em torno da família Melbourne. Doris e Henry são grandes cientistas e seus filhos Ted, Teo, Tim, Tom, Bobby, Pam, Lis e Peggy... moram dentro de um barco "Cisne" onde os famosos cientistas trabalham, e sua tripulação são seus filhos."

Última frase da resenha:
"Eu recomendo a leitura, tenho certeza que muitos irão se surpreender com o livro."

Frase que eu mais gostei da resenha:
"A criação de cada personagem também foi ótima, todos os filhos tem personalidades diferentes e divertidas."


A resenha da Katrine foi simples, curtinha e objetiva. Não me deixou muito para falar! Minha reação diante da resenha? Mais uma vez, respirei com alívio ao ver que o tamanho do Cisne impressiona na primeira olhada, mas, depois de passado o susto e iniciada a leitura, esta flui com facilidade. A frase que eu mais gostei fala dos personagens e da caracterização de cada um, e eu sorrio sempre que leio isto. Gosto de saber que, apesar de eles serem muitos, consegui fazer o que queria: imprimir um jeitinho diferente em cada um! Katrine, muito obrigada pela simpática resenha, e pelo ânimo de encarar as 800 páginas do Cisne!

sábado, 23 de fevereiro de 2013

Relatório semanal n. 8


Relatório da oitava semana do ano:

Tivemos muitas novidades!

- Entrevista nova no blog parceiro Leituras da Cá;

- Encerramento do sorteio no blog Acordei com Vontade de Ler; ainda há mais sete sorteios do Cisne em andamento. A lista está aqui.

- Mais duas resenhas, que ganharam cinco estrelas no Skoob!
A primeira foi do Moisés, do blog A Profecia de Leslienth. A segunda é novinha em folha, saiu hoje! É do Vitor, do blog Biblioteca Esmeralda. Obrigado, pessoal! Escrever é muito bom, conseguir publicar é uma vitória, mas a verdadeira satisfação é saber que vocês estão lendo o Cisne, e gostando!

Além de tudo isso, segue a agitação com o evento Livros, Paixão sem Fronteiras, que vai acontecer em Belo Horizonte, no dia 23 de março!

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Aiii, ODEEEIIIOOO quando isso acontece!!!

O que é isso que eu odeio tanto?! Deixa eu dar a descrição!!!

Começa assim: devido ao recente final do horário de verão, estou acordando bem mais cedo do que o necessário. O compromisso da manhã era apenas às 8:30h, e eu estava de pé e bem desperta muito antes disto. O filho saiu, o marido saiu, e, de repente, eu estava com uns quarenta minutos de bobeira, sobrando. Meu horário de escrever é final de tarde ou noite, sempre; a parte do cérebro que escreve não costuma estar ativa nas primeiras horas da manhã. Mas, talvez devido à cena em que eu estava trabalhando na noite anterior (antes de ser vencida pelo sono), o cérebro resolveu ter vontade de escrever pela manhã.

Continua assim: quarenta minutos? Ok, é um bom tempo, ainda mais com o outro filho dormindo, casa quieta, telefone silencioso e ninguém atrapalhando. Liguei o computador. Se a cena não rolasse, bom, eu não tinha nada mais importante para fazer mesmo. E, para minha surpresa, rolou direitinho! Fala depois de fala, atitude depois de atitude, tudo estava se encadeando muito bem, de um jeito natural e fofo! De olho no relógio porque não podia perder a hora, fui até um determinado ponto, bem satisfeita com o resultado. Então encerrei tudo, desliguei o computador e saí.

Termina na parte que eu ODEEEIIIOOO furiosamente: foi colocar os pés para a rua e as ideias começaram a brotar feito praga na lavoura! Detalhes de como continuar o diálogo. O jeito de passar de um assunto para outro. Reações totalmente convincentes dos personagens numa situação daquelas pra lá de tensas! E eu NA RUA, precisando não de um celular pra anotar a coisa, mas do meu sacrossanto TECLADO, com a possibilidade de digitar a alta velocidade com todos os meus dez dedos (sim, eu faço isso de verdade!) e capturar os detalhes antes de sumirem!!! 

Preciso dizer que, até eu voltar pra casa, os detalhes SUMIRAM?! Acho que não, né! A estrutura da cena está pronta, já estava antes. Não é este o problema! O problema são as palavras, as expressões, tudo que desapareceu, e estava tão lindo, fofo, PERFEITO! Juro que dá vontade de andar com um note eternamente a tiracolo - seria a única solução para estas crises de inspiração em horários inconvenientes!

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Quer ganhar o Cisne?!

 

Então aproveite os OITO sorteios que estão acontecendo!

1. Assunto sobre Livros - o sorteio vai só até amanhã! O blog está sorteando o Cisne e mais diversos livros;

2. Sonhos e Resenhas - até 28.02; sorteia o Cisne e seu kit de mimos;

3. Acordei com Vontade de Ler, até 09.03. É comemoração de aniversário do blog, que está sorteando o Cisne, o livro Irresistível e um template;

4. Entre Palcos e Livros, até 09.03 também. O sorteio está junto com a fofíssima resenha da Ju!  

5. Leituras da Cá, até 19.03, na promoção de dois meses de "vida" do blog.

6. Livros, Paixão sem Fronteiras, até 23.03. Esta é a página do evento em Belo Horizonte do qual eu vou participar, que acontece dia 23 de março.

7. A Profecia de Leslienth, até dia 25.03; também sorteia o Cisne + kit. 

8. Anjo Negro, sorteio do Cisne + kit + brindes do livro Anjo Negro, da autora amiga Mallerey Cálgara.

Com OITO sorteios em andamento, nem vou fazer sorteio aqui no blog. Vou esperar mais um pouquinho, rsrsrs! 
 

 

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Resenha!

 
Depois de alguns dias de intervalo, eis que surge uma nova resenha! Agora é de Moisés, do blog parceiro A Profecia Leslienth. Foi mais uma resenha positiva, mas é difícil falar dela, porque Moisés abordou em uma só resenha muitos aspectos do Cisne. Costumo escolher uma frase para incluir no meu post, mas, hoje, não soube que frase escolher. Portanto, estou deixando com vocês a frase final, que avalia o Cisne:

"Mesmo tendo algumas falhas quanto a sua construção eu darei nota 5 para a obra Cisne, pois é um projeto que se encontra bem acima da média apresentada no mercado literário. Hertzog me impressionou pela qualidade de sua escrita."

Convido vocês a conferirem a resenha completa aqui.  E depois me digam que frase escolheriam...

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Bug no cérebro = quote de Linhagens


No post do dia 16, coloquei a imagem abaixo,

e disse que muita coisa aconteceria num lugar cheio de verde e dourado. Como meu pobre cérebro continua afetado pela cefaléia enxaqueca dor de cabeça - enfim, dói e atrapalha, vou usufruir do que já escrevi. Vocês, por outro lado, vão usufruir de mais um pedacinho de Linhagens. Este pedacinho em particular descreve o supramencionado lugar verde e dourado: o Vale de Krilin. Espero que gostem. Eu adoro o Vale de Krilin, e ele está bem cotado para ser a capa de Linhagens!

Observação: a imagem acima é da internet, não tem nada a ver com a capa, ok?!

" Objetivamente, em craseal, o idioma nativo do mundo de Tarilian, Krilin era um nome próprio feminino. A palavra também designava uma cor de difícil explicação, cuja descrição mais aproximada seria uma alvorada luminosa e dourada nascendo atrás de folhagem intensamente verde. Havia raríssimos tarilianos com olhos krilin e, para quem nunca tinha visto, era complicado imaginar olhos de cor tão exótica. Mas existiam.

Muito menos objetivamente e fazendo parte dos mitos, krilin era uma lendária planta de flores verde-douradas. De acordo com velhas histórias, das flores verde-douradas havia surgido a palavra krilin para designar a cor, a expressão krilin sempreverde para designar a planta e o nome Vale Dourado de Krilin para denominar o local onde essa planta cresceria. Também de acordo com o mito, apenas Merine e as Casas de Tarilian sabiam a localização secreta do Vale de Krilin.

Os tarilianos convencionais já consideravam Merine um mito. O Vale de Krilin, portanto, era algo ainda mais distante – era uma antiga história de ninar.

Para os jovens herdeiros das Casas, o Vale Dourado de Krilin era um dos lugares mais pitorescos de Tarilian. A excentricidade começava pela própria krilin sempreverde, uma única planta gigantesca que espalhava suas flores verde-douradas pelo vale inteiro. Acima, o vale era bloqueado por uma espessa nuvem, que impedia olhos e mentes de localizarem o lugar. Assim, quando anoitecia, o céu de Krilin era uma nuvem escura cortada por tênues laivos de luz verde-dourada, e as estrelas se mudavam para o solo, porque as flores krilin realmente brilhavam na escuridão, como incontáveis e discretos pirilampos dourados... " 

 

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Entrevista!

 

Hoje no blog parceiro Leituras da Cá, mais uma entrevista desta autora que vos fala! E que hoje, aliás, fala pouco porque está torta de dor de cabeça... Cá, obrigada pela bela entrevista. Pessoal, até amanhã - de preferência, sem dor de cabeça!