sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Enrolada...


Estou igual ao gatinho aí de cima, tentando passar por um emaranhado de coisas!

Depois de mais de dois dias, note finalmente formatado, mas ainda na quarentena: não sabemos até quando vai se comportar. Vou aprender a trabalhar no HD externo. Minha vida de aprendizados não tem fim, parece.

Internet: de volta. Windows alegremente baixando e instalando 3.425.200 atualizações e mais algumas - devem ser todas, desde que o Windows foi inventado. Chego na minha barra de favoritos, e toda ela sumiu. Link por link, cacei todos de volta. Sim, AGORA eu sei que tem um esquema onde tudo fica armazenado na internet. Dã dã dã dã. Aí começam as perguntas difíceis, tipo: senha, por favor? Senha do Skoob? Sei lá, não faço ideia. Senha da Amazon? Beleza, sumiu dos bancos de memória também. As senhas dos e-mails, pelo menos, eu sabia. Depois de uma enorme troca de mensagens, a comunicação com o mundo foi restaurada.

Certo, digo eu, então agora vamos trabalhar um pouco, de verdade. Meus arquivos já estão todos no note, eu vi. E daí... OH, SURPRESA! Os arquivos estão, mas o Word, não!

Agora o note está atualizando interminavelmente o Windows, instalando o Word... e eu aqui, esperando tudo isso terminar pra descobrir quais surpresas mais me esperam! :(


sábado, 21 de dezembro de 2013

Etapa n.2 - CONCLUÍDA

Essa etapa se chama ARRUMAÇÃO PARA O NATAL e finalizei hoje (estou quebrada. Até as solas dos meus pés doem!). É mais fácil eu mostrar do que explicar. E, adiantando as respostas às três perguntas mais comuns:

1. Sim, todo ano eu arrumo tudo isso.
2. Sim, o relógio cuco funciona, e muito bem, por sinal. 
3. Sim, o fogão a lenha também funciona, mas é aceso apenas no inverno, é claro.









 

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Olha eu aqui de novo...

... E olha eu me surpreendendo ao ver que o post anterior a este tem data do dia 9! O tempo voou e eu nem vi! Motivo? O velho TOC literário, é claro, cismando de revisar tudo mil vezes antes de colocar Cisne, segunda edição, na Amazon! Revisei e revisei e revisei, e tenho certeza de que ainda sobraram rabichinhos que me escaparam. 




A capa foi extensamente discutida com meio mundo, sem que se chegasse a conclusão alguma. Então, para encerrar o assunto, tasquei uma capa provisória, feita em alguns minutos pela super ultra mega veloz perita em PSD, minha filhota Anelise, enquanto a vovó aqui andava pra lá e pra cá com o netinho Arthur no colo. Ele é MUITO a favor de agitar quando preciso da mãe dele, rsrs! A capa é esta, espero que gostem!


E, encerrando, meu printscreen comemorativo ao primeiro livro a caminho da Amazon! Josy, MUITO OBRIGADA por todas as dicas e por toda a paciência comigo no bate-papo, rsrs! Valeu, amiga!!!


segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Segue o trabalho duro

Só pra manter vocês informados sobre o andamento dos intermináveis trabalhos: como eu disse ontem, todas as modificações e marcações foram feitas em uma "versão final" - que de final não teve nada! - impressa. Agora estou passando tudo para o computador. Trabalho braçal e atento, que está sendo feito com muita satisfação! No impresso tamanho A4 de 458 páginas, estou na 47. Ainda tem muita coisa pela frente!

O que o gato tem a ver? Sei lá. Gosto da carinha sorridente e descansada dele!

domingo, 8 de dezembro de 2013

Escritora quieta =

70% - trabalho duro, e estou falando de escrever. Nem estou contando o trabalho convencional, ou o netinho (lindooooo!!!!) ou todas as outras coisas da vida da gente.
30% - internet péssima. Sério, gente, o que é isso?! O Face de vocês também está um jegue?! Espero conseguir compartilhar na página esta postagem do blog, mas, do jeito que as coisas estão, é mais uma esperança do que uma certeza. É quase um milagre conseguir uma postagem decente com foto anexada. Thais, obrigada por estar quebrando esse galho pra mim e ajudando nas postagens da página!

Voltando aos 70% de trabalho, devem querer saber no que eu tanto trabalho, que não termino nunca. Certo, vou confessar: sabem aquela última revisão do Cisne? Aquela, com o texto impresso, só pra checar se tudo estava no devido lugar? Pois é. Virou um monstro! 

Não, eu não estou mudando enredo algum, não se preocupem. Tem um ou outro parágrafo a mais ou a menos por conta do corte dos capitulões em capítulos menores, só isso. A mudança foi de estrutura. E a culpada pela reativação da minha paranoia foi a Sra. Janaina Rico, que aliás não ganhou aquele Codex de Ouro assim por acaso (PARABÉNS, JANA! VOCÊ MERECE, apesar de eu ter te odiado furiosamente em cada dia da minha interminável revisão!).

Explico: a Jana e eu dividimos o quarto em um evento em Fortaleza. E, durante os papos de quarto, a Jana-versão-professora disse que, em livros bem escritos, não se usava disse perguntou respondeu retrucou falou e todos os similares para indicar qual personagem estava falando. Que um diálogo precisava prescindir disso. E eu respondi que, puxa, meus livros tem montes de diálogos, não tenho como escrever sem usar essas palavras... A Jana não insistiu. É muito elegante pra isso. Mas me olhou com carinho de pena, eu admito.

E daí eu fui fazer a famosa última e rápida revisão. E daí todos aqueles disse perguntou respondeu retrucou começaram a pular na minha cara, e eu fazendo uma força enorme pra ignorar todos eles. Até consegui. Por uns tempos. Até gritar de fúria como um gorila furioso e me declarar vencida. OK, ENTÃO EU FAÇO, PRONTO!!! 

Fiz. Não tenho como tirar todos os disse perguntou respondeu do texto, mas eles foram drasticamente reduzidos, aumentando o tempo de revisão na proporção inversa. E eu gostando da cara que o texto estava ficando, e odiando a sra. Rico, que meteu essa ideia na minha cabeça. Isso aí abaixo é uma amostra do que virou minha rápida revisão! Olhem só a quantidade de riscos, escritos e rabiscos, pra não mencionar aquela mega irônica marca d'água dizendo VERSÃO FINAL rindo da minha cara em cada página.


Mas terminei. Até que enfim! É só passar tudo para o computador agora... Ai, ai! E, Jana, obrigada! :D O texto está bem mais legal agora, rsrs!

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

PERDENDO A PACIÊNCIA EM 3, 2...

... Mas, na verdade, não, embora motivos não faltem. Já desabafei o suficiente no post do dia 27, não estou a fim de xingar mais. Apenas quero informar a vocês do que aconteceu.

Veem esta foto abaixo, de um Cisne embalado? Era com esta cor de papel que os primeiros livros saíram de casa. Este livro está fechado em seu pacote original, onde eu mesma o coloquei. 

Sabem onde foi encontrado? Em um sebo de Fortaleza, colocado à venda. Com pacote e tudo. Muito pitoresco, na minha opinião.

Foi o parceiro Mairton, do blog São Tantas Coisas, que o localizou entre muitos outros livros. Também foi o Mairton quem o comprou antes até de fazer contato comigo, e me avisou. Tirou as fotos a meu pedido, inclusive da dedicatória. É essa foto aí abaixo. 



Como podem ver, é uma dedicatória sem nome, ou seja, este livro foi enviado para sorteio. Mas tem data: janeiro de 2012. E sabem, gente, apesar de muito atrapalhada na internet, sou organizada nas minhas listas. Tenho a data de envio de cada livro que saiu de minhas mãos. Sei para quais blogs foram mandados livros de sorteio em janeiro de 2012, sei quem sorteou e quem não sorteou. 


Sabem aquela propaganda do Credicard, no estilo:
- Livro caprichosamente embalado - tantos reais;
- Despesas do correio - tantos reais;
- Pagamento ao sebo - tantos reais;
- O amigo que o encontrou, comprou e me avisou - NÃO TEM PREÇO

Mairton, amigos como você, e como tantos outros que encontrei na blogosfera, simplesmente não têm preço! Mais uma vez, muito obrigada!

Quanto a você, ex-parceiro que nem vai ler isso porque não se interessa por meus livros, fica sussa, como diz a Vanessa Bosso. Não vou colocar nomes aqui. Mas, a cada ação da gente no mundo, corresponde uma reação. Te entende com o mundo, quando ele decidir cobrar tuas opções!

domingo, 1 de dezembro de 2013

Linhagens - nova resenha!


Resenha novíssima de Linhagens, feita pela Vivian Pitança, do blog parceiro Reflexão Literária. Avaliação 5/5, resenha completa aqui

A Vivian diz que foi difícil fazer a resenha sem soltar spoilers. Bem, a minha dificuldade foi encontrar minha frase preferida na resenha! Por fim, acabei escolhendo esta:

"Entre mil e um aspectos diferenciados que fogem do cliché, Linhagens é um livro capaz de te conquistar e surpreender até as últimas páginas. Você se encantará, ficará preso, suspirará, sonhará e muito mais dentro dessas 700 páginas que parecem tão poucas perto da nossa sede."

Além disso, Vivian faz o nome do seu blog se justificar: não faz apenas resenhas dos livros lidos, mas também reflexões sobre eles, sobre as mensagens que cada livro passa. Cisne já teve seu post de resenha (aqui), e também o Lendo e Refletindo (aqui). E, ao ler, até eu acabei refletindo sobre meu próprio livro...

sábado, 30 de novembro de 2013

Notícias da semana:


Notícias dos livros, ok? Nada de notícias do ataque de nervos da escritora, acontecido na quarta-feira. Sobre ele, continuo sem palavras tanto em relação à amizade de vocês quanto à repercussão. Vamos então às novidades literárias:

1. Resenha nova de Cisne feita pela parceira Jeni, do blog Doce Sabor dos Livros. Avaliação 3/5, resenha completa aqui.

"O bacana a respeito do clima misterioso da narrativa, é que a autora vai esclarecendo-o pouco a pouco. Os personagens também não são dos mais transparentes: guardam segredos surpreendentes, que muitas vezes foram simplesmente revelados. Isto é, o leitor não teve, digamos... tempo para pensar em evidências que apontassem a existência deles. "

E, também no blog da Jeni, tem uma entrevista bem interessante. Foi a primeira a que respondi com perguntas feitas por um parceiro que já tinha lido Cisne. Gostei bastante! O link da entrevista é este.

2. Na caixinha de correio da Joyce, do blog Entre Páginas e Sonhos, está Linhagens. Boa leitura, amiga!

3. Cisne fez parte do evento que Rafa Silriz, do blog Temporal de Sonhos, ajudou a organizar. Um exemplar foi para sorteio e outro, para a biblioteca da escola. De acordo com a Rafa, foi uma grande disputa para ver quem levava Cisne primeiro para casa (eu orgulhosa e sorridente aqui)! 

4. Cisne também aportou na caixinha de correio da Amanda, do blog Amanda's Tale. Espero que goste da leitura, Amanda!

5. Resenha nova e fofa de Cisne feita pela Michelly, do blog Mais uma Página. Avaliação 4/5, resenha completa aqui.

"Além de Tim, também guardei um espacinho especial do meu coração para o doutor Henry, Peggy, Michelle e para o alienígena mais esquisito do universo, Anton. Amei ver a transição do Anton-odeio-a-Terra para o Anton-chiclete-da-Michelle. "

Também no blog da Michelly, Cisne fez parte da resposta de uma tag muito simpática! Que tal passar uns dias a bordo do Cisne? Link aqui.

E uma resenha nova e linda de Linhagens... que vou guardar para amanhã!


quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Eu gostaria...

... de encontrar uma gravura bem grande de uma carinha bem espantada para colocar aqui, porque não tem nada mais adequado para me definir, de ontem para hoje. 

O desabafo de ontem já estava preso há muito tempo, mas eu nunca encontrava as palavras adequadas. Às vezes eram palavras leves demais, outras vezes eram formais demais e, em outras, excessivamente agressivas. Descartei tudo, até o texto de ontem aparecer dentro de mim pronto para ser escrito. E o problema de antes se transferiu para hoje, porque simplesmente não encontro palavras para explicar o que estou sentindo.

Então, com a permissão de vocês, não vou nem tentar. Hoje, eu não consigo. Vou ficar apenas no convencional "obrigada por todo o apoio, todos os comentários, todas as mensagens", mas saibam que não é isso que estou sentindo. É muito, muito mais. Quando as palavras vierem, saberei agradecer convenientemente a todos vocês.

Assinado:
Eleonor Hertzog, uma escritora com o coração aquecido por tanta amizade.




quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Papo MUITO SÉRIO!

Como diz a sábia Janaina Rico, vamos arrancar o espinho de uma vez só que dói menos.

Portanto:
Neste quase um ano de vida literária, conheci gente sensacional e conheci gente que acho que, se eu matasse, o diabo devolvia. E sim, senhoras e senhores blogueiros, é particularmente com vocês. Encontrei novos e maravilhosos amigos, montes deles. E encontrei um bando fantástico de falcatruas que apenas sabem que eu existo até conseguirem a parceria e o livro. Suponho que depois disso os referidos falcatruas usem Cisne como pé de sofá, porque não fazem resenha, não respondem e-mails e, eventualmente, se desvanecem no ar e no Face.
Atenção aqui, não estou falando do povo envolvido com provas, concursos e TCCs. Não estou falando de todos vocês, parceiras e parceiros queridos, que fazem contato pra dizer que estiveram ocupados com seus estudos ou vida profissional, e que colocarão as leituras em dia assim que possível. Meus personagens estudam também. Eles e eu conhecemos as prioridades que as pessoas devem ter na vida.
Estou falando com aquela magnífica turma que recebeu Cisne há um ano, não resenhou e faz de conta que nem me conhece. A isso, posso alegremente somar a turma que troca (ok, até é aceitável) ou VENDE (alô-ôu, vocês ganharam de presente! Não gostaram? Não querem mais? Doem para uma biblioteca, pô!) os livros de parceria. Acham que nós, escritores, não ficamos sabendo? Não se iludam, as informações correm soltas nos bastidores! Mas a gente vai levando. Vai fazendo de conta que não viu.

Até que, em algum dia da vida, uma gota d'água enche o copo. Minha gota d'água foi essa aí abaixo.







Esse Linhagens foi colocado à venda UM DIA DEPOIS DO LANÇAMENTO NA BIENAL. Ninguém compra um livro pra vender 24 horas depois; portanto, meus fofos, isso é coisa de "parceiro", que decidiu vender o livro antes mesmo de ler! Infelizmente, não consegui colocar meus curiosos dedinhos neste precioso exemplar, porque eu queria - ah, e como eu queria!!! - ver a quem o livro pertencia! Porque, sabem, todos os livros saíram do estande da Bienal com dedicatória e autografados... Tinha, nele, o nome de quem estava vendendo.
Não sei quem foi. Se souberem, me contem, porque esse barraco ainda está entalado na minha garganta. Então eu dou o livro como cortesia - e ele é vendido desaforadamente no Mercado Livre?! Mesada, gente, é com papai e mamãe, não comigo!

Conclusão: Uma geração. Todas as decisões. entra no esquema do bolsa-blogueiro. Querem parceria? Beleza, eu também. R$20,00 por livro, e eu assumo o correio. Os livros previamente combinados, tanto Cisne quanto Linhagens, que ainda não enviei, serão cortesia porque este era o trato. Mas serão as últimas cortesias.

Tudo esclarecido? Ótimo. Não vou terminar dizendo "desculpem se ofendi alguém" porque aqueles que não se enquadram no perfil não têm motivos pra se sentir ofendidos, e os que se enquadram, bom, queridos, sintam-se ofendidos à vontade!

Quanto a você que adora leitura, montou um blog literário, não tem grana pra comprar nem um terço dos livros que gostaria, e daí pensou em fazer parceria comigo para ganhar os livros e resenhar, e agora a coisa não vai mais funcionar deste jeito, não reclame comigo. Agradeça aos seus colegas falcatruas que levaram um ano inteiro pra me torrar a paciência, mas finalmente conseguiram!

OBSERVAÇÃO FINAL: NÃO, EU NÃO VOU MUDAR DE IDEIA NEM ABRIR EXCEÇÕES!

Assinado: Eleonor Hertzog, uma escritora P. da vida!!!


domingo, 17 de novembro de 2013

Sou vovó!

Hoje chegou o Arthur, o mais novo e fofo membro da família! Nasceu esta manhã, às 7h21min, com 2.990g e 49cm, berrando muito saudavelmente para dar seu sonoro OI ao mundo! Esse carinha aí abaixo é ele.


E eu sou uma vovó tão totalmente coruja que nem lembrei de tirar foto com o neto, só fico babando no pequeno... Vou atualizar as coisas por aqui conforme mr. Arthur permitir!

Então, assim: Cisne teve duas encantadoras novas resenhas. A primeira foi em 15 de novembro, da Juciele, blog Meu filme virou um livro. Esta é a primeira frase da resenha da Juciele:
"Sabe aquele livro que você lê e fica surpreso com o desenvolvimento de cada parte da história? Cisne é um desses livros! A capa e a sinopse do livro não são suficientes para nos dar uma visão do que acontece em Cisne que é uma mistura de fantasia com ficção científica."
Resenha completinha aqui neste link.

E tivemos uma segunda nova resenha, esta do Marcos, blog Desbravadores de Livros. Foi postada hoje, link aqui! Comecinho da resenha do Marcos:
A Terra mudou. Esqueça a ignorância e as brigas para ver quem é melhor que quem. Esqueça também essa história de jogador de futebol ganhar milhões. Nesses novos tempos, ser cientista é o ápice do sucesso humano. Porém, se ser cientista é bom, ser um profissional das ciências formado pela Escola Avançada de Champ-Bleux é ainda melhor.
Doris e Henry Melbourne são formados pela Champ-Bleux. Eles são biólogos e moram com seus filhos no barco Cisne. Filhos, ou pequena ninhada, se preferir. Eles eram numerosos, muito numerosos... "

Meus agradecimentos aos dois pelas lindas resenhas! E, gente, os posts vão ficar mais irregulares ainda, agora que o Arthur chegou! Paciência comigo, pessoal. É meu primeiro netinho!!!

domingo, 10 de novembro de 2013

Páginas de uma História - Lilian Reis



Oi, gente! Estou voltando hoje com uma notícia bonita: tive a enorme satisfação de prefaciar o segundo livro de Lilian Reis, Páginas de uma História, que já está disponível na Amazon (link).


O livro se passa em Porto Alegre e na Serra Gaúcha. O protagonista, Victor, é gaúcho e fala como gaúcho... Resultado, Lilian me pediu para revisar e ajustar nosso modo gaúcho de falar, o que me divertiu demais! Para não mencionar, claro, a beleza de ler um livro antes de seu lançamento. Ou seja, eu já estava muito feliz! :D

No final, para minha surpresa, veio o convite para fazer o prefácio - meu primeiro prefácio, que emoção! E olha que é mais difícil do que eu pensava, rsrs! Transcrevo para vocês aqui abaixo. 

Sugestão? Leiam logo o novo livro da Lilian. Como ela, o livro é um amor!

Conheci Lilian Reis no primeiro evento literário do qual participei e imediatamente me encantei com sua simpatia e simplicidade. Meu encantamento só aumentou após a leitura de seu livro de estreia, Eu, meu pai e meus outros amores. Não leram ainda? Bem, não sei o que estão esperando... Não é um livro. É um doce!
Apesar da distância – Minas Gerais para Lilian e Rio Grande do Sul para mim – a amizade se manteve. Conversamos sobre nossos projetos literários, e Lilian me falou do livro que agora está em suas mãos: Páginas de uma História. Tudo no enredo aconteceria em Porto Alegre ou arredores, Lilian me disse. Então, será que eu, portoalegrense nativa, gostaria de checar se a geografia, costumes e modo de falar gaúcho estavam corretos? A resposta só poderia ser um entusiástico SIM, tanto pela amiga quanto pela rara chance de conhecer uma obra antes do lançamento! Foi assim que, antes de todos, tive Páginas de uma História em mãos, para mais uma vez me deliciar com a criatividade e os personagens de Lilian.
Conforme combinamos, além de devorar entusiasticamente o livro, conferi a geografia (eu escrevo fantasia e estou acostumada a me mover por ambientes imaginários. Lilian, ao contrário, gosta da realidade, e, estudou tão bem Porto Alegre, que, certamente, conhece alguns bairros da minha cidade melhor do que eu!), os costumes, sobre os quais dei umas dicas, e o modo gaúcho de falar. Victor, o protagonista, fala como um legítimo gaúcho de Porto Alegre. Acreditem, aqui a gente fala mesmo desse jeito!
Encerrada essa divertida etapa, fui surpreendida pelo convite de fazer o prefácio do livro e oh!, aí começaram os problemas! Porque ler uma obra e conversar sobre ela com a escritora é uma coisa, mas escrever sobre ela assim, aqui, é MUITO diferente! Fiz e refiz esse texto não sei quantas vezes. Nunca me parecia bom o suficiente. Nunca parecia à altura do livro maravilhoso e fofo que eu tinha acabado de ler! Mas, enfim, vamos lá...
Os personagens de Lilian são vivos, coerentes, repletos de nuances, tão verdadeiros que você, certamente, conhece alguém como eles. A trama é igualmente real: um encadeamento de fatos, situações e consequências que você já viu acontecer à sua volta. O que nos prende, página depois de página rapidamente virada, não é a expectativa por um grand finale fabuloso e inesperado, mas sim a curiosidade e a ansiedade de descobrir como aquelas PESSOAS (sim, pessoas, não personagens!) se desvencilharão das situações em que se colocaram! Mas, acima de tudo, Páginas de uma História é um livro que fala de sentimentos. Sentimentos intensos e delicados, com a suavidade de uma flor e a firmeza de uma rocha. É um livro que fala de amor, confiança, fé. É um livro que fala de Deus, ou melhor, é um livro que fala das diferentes formas através das quais, Deus fala a cada um de nós. Não é um livro que vai mudar sua vida de forma cataclísmica; é uma história doce que vai tocar seu coração e, talvez, mudá-lo com delicadeza – toda a delicadeza que está sempre presente na talentosa escritora que é Lilian Reis.


sábado, 2 de novembro de 2013

Autor também lê: com atraso mais uma vez, leituras de setembro!


Setembro foi um mês atípico para leituras, devido aos 10 dias de Bienal... e aos 15 dias em que corri antes, me preparando para a Bienal! Portanto, foram bem menos leituras do que estou acostumada. Vamos lá:

1. Lágrima de Fogo - O Mundo de Sombras - Ana Macedo  - Editora Novo Século, 311 páginas. Maravilhoso! Devorei o livro lá no Rio de Janeiro mesmo, e agora estou ansiosa esperando a continuação! E daí, Aninha?! Sai quando?!

2. Almakia - A Vilashi e os Dragões - Lhaisa Andria - Editora Modo, 361 páginas. Outra aquisição da Bienal. Eu esperando dragões de verdade, e a Lhaisa vem dragões de outro tipo - mas tão cativantes quanto dragões de verdade! E, repetindo, cadê a continuação?!

3. O Príncipe Gato e a Flor-Cadáver - Bento de Luca - Editora Novo Século, 381 páginas. Estava muito curiosa para ler este, que é continuação do Príncipe Gato e que, ao contrário do primeiro, acontece em Marshmallow. Muitos personagens novos muuuuito interessantes! Vamos ver o que mais vem pela frente, srs. Bento de Luca!

4. Devoy Kassan - livro 1 - Paula Vendramani - Editora Modo, 177 páginas. Esse é pequenininho comparado com os outros, li numa sentada só, e é claro que não termina também. Para minha satisfação, já vi a capa do segundo, Intueri (lindona, por sinal!), passeando pela internet. Isso quer dizer que a continuação não demora, viva viva!

5. Jardim de Escuridão - Bianca Carvalho - Editora EraEclipse, 305 páginas. Da Bia, minha parceira de estande. Aí a gente escuta uma vez ela explicando como é o livro. E duas. E dez. E cem. E a curiosidade vence disparado. Gentes... O livro é sensacional! Romance, personagens muito bem construídos, e ainda crimes como pano de fundo da trama!

6. Versos Sombrios - Bianca Carvalho - Editora Eraeclipse, 258 páginas. É a continuação de Jardim de Escuridão, com o mesmo grupo de personagens, mas trocando os protagonistas. O que tenho a dizer sobre essa família? Nossa, as mulheres da família conseguem se meter em muitos problemas com seus dons especiais...! E continua o romance, os personagens pra lá de bem construídos e os crimes - mas não pense que você vai encontrar uma releitura do primeiro livro. Os dois são completamente diferentes, e completamente viciantes, também. A gente só para quando termina! E daí, Bia, pra quando vem o terceiro, que encerra a série?

Total de páginas lidas: 1.791, que pobreza! Mas foram excelentes páginas, cada uma delas!

Troféu meapaixoneipelacapa: Devoy Kassan e sua cobra sinistra, cercada de bolas de fogo!


quinta-feira, 24 de outubro de 2013

CAPA DE CISNE - MUDANÇAS


Bom, não sei como isso vai funcionar, mas vou fazer um post de trás para a frente, quer dizer, as últimas atualizações vão ficar sempre aqui em cima, no cabeçalho do post! Então, se quiser ver como tudo começou, vá lá para baixo...

Lista de sugestões:
1. Relevo na fonte (Dani Vilela) - todo mundo concorda, até eu
2. Estrelas reluzindo (Thais) - apoiada pelo povo
3. Aumentar/mudar fonte do título (Nizete) - ele ainda está em estudos. Vamos tentar outras fontes!
4. Relevo leve no barco (Mari) 

DIA 30 DE OUTUBRO

Atualizando a lista de sugestões:
5. Obrigada a todos que me forneceram links de sites de fontes free. Foi como abrir uma loja de doces na minha frente, mas agora não sei qual doce escolho, rsrs!
6. Colocar uma nave ou planetas para dar um ar mais ficção científica, e uma fonte que combine com essa ideia (Vivian) - super apoio, a dificuldade é ajustar tudo isso.
7. Nome da série com mais sutileza (Douglas)

E atualizando a lista de ideias, algumas sugestões para o título. Desconsiderem o nome da série, ok?




DIA 29 DE OUTUBRO

Novas ideias! Gente que gostou das estrelas, agora temos um planeta. Gente que sugeriu um céu diferente, temos uma tempestade se formando! Autoria: a filhota colorista Anelise! Sem tempo para testar fontes hoje...





DIA 28 DE OUTUBRO

Sites com fontes free?! OMG, que descoberta, rsrsrs! A todos que me informaram sobre esses sites, MUITO OBRIGADA! Como eu disse, sou esforçada, mas tenho muito a aprender sobre internet! Em breve teremos novidades com as novas fontes pelas quais me encantei. Hoje estou me dando uma folga de leve, estou com uma dor de cabeça pra lá de chata!

E, pra vocês, as sugestões do Guilherme Koch. A cada dia, eu me espanto mais com a criatividade e a habilidade de todos vocês!





DIA 27 DE OUTUBRO

Mais algumas tentativas de letras de título. Vão opinando e sugerindo, gente! Usei a mesma fonte no nome da série e no nome do livro, mas dá para usar fontes diferentes.

Sugestão da Nikelen Witter: transformar o nome da série numa espécie de marca ou logotipo. Achei uma excelente ideia, mas sou uma negação total em edição de imagens. Até colocar o título é uma vitória da Eleonor sobre o Photoshop, que é o único sistema de edição de imagens que sei usar um pouquinho. Então, se houver algum artista criativo disposto a ter ideias, sou toda ouvidos!
























DIA 26 DE OUTUBRO (porque dia 25 a internet se afogou na nossa cidade chuvosa)

Assunto do dia: minha primeira tentativa de um novo título. O que acham? Não sou NADA boa nisso, mas estou me esforçando. Aceito sugestões!





DIA 24 DE OUTUBRO - NOITE

Na verdade, estas fotos foram mandadas pela Rebeca Vasques há mais tempo. A ideia era manter a cor de capa em tonalidades azuis, mas Rebeca me mandou estas imagens, que achei bonitas demais. Particularmente, me encantei pelo planeta esboçado nas paisagens. O que acham da ideia? E das cores?




DIA 24 DE OUTUBRO - MANHÃ

Quando a primeira edição de Cisne esgotou e comecei a me organizar para a segunda, muitos queriam saber se permaneceria a mesma capa. Eu respondia que sim, a capa ficaria igual.

Pensei desta forma até a Bienal. Lá, tive oportunidade de ver que a capa, apesar de muito linda (minha opinião, ok, mas sou eu que estou escrevendo aqui, afinal) e muito adequada ao enredo do livro, não chamava a atenção dos leitores. As pessoas entravam no estande atraídas pelas capas dos outros livros, e somente depois se interessavam por Cisne. Como a função de uma capa é "puxar" o olhar, então, muito contra a minha vontade, a capa terá que mudar. Entenda-se aqui mudar no sentido de reestilizar, porque, afinal, Cisne já tem seus fãs e sua identidade.

É neste processo que gostaria das sugestões de vocês, que já se tornaram amigos da tripulação do Cisne. Há várias ideias surgindo de todos os pontos. Pretendo apresentá-las aqui para que possamos falar sobre elas.

As primeiras ideias podem ser vistas no novo banner da página e do grupo: 


1. Os mastros do barco agora são dourados, e tudo que já era dourado ganhou um tom mais vivo.

2. O nome do barco, em letras manuscritas, foi apagado. Usaremos letras mais tecnológicas. Sugestões?









3. Os golfinhos se foram (snif, snif).









4. Céu noturno, com direito a estrelas. Como a proposta é uma capa puxando mais para o forte de Cisne, que é ficção científica, está em estudos alguma base ou nave espacial por aí. Sugestões?






segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Uma resenha de Linhagens e duas de Cisne


Primeirona: resenha de Linhagens, feita pela Carol Durães, do blog Acordei com vontade de ler. Antes de Cisne ser lançado, quando a fanpage estava no comecinho, a primeira blogueira a me propor parceria foi a Carol, de modo que tenho um carinho bem especial por esta parceira! Ela gostou bastante de Cisne, leu Linhagens com entusiasmo... E, para minha alegria, gostou desse "monstrinho" também! A resenha completa está aqui, nesse link cinzento e sem graça devido às manias do Blogger. Saiu no dia 19 de outubro.

"A capa é bem diferente do primeiro livro da série, mas está totalmente relacionada com a trama de "Linhagens", uma trama que é muito bem delineada, desenvolvida com maestria e coesão, não deixando "pontas soltas" e deixando o leitor com gostinho de quero mais. A aventura descrita em "Linhagens" é complexa, densa e totalmente de tirar o fôlego. É um livro irresistível, indicado para os leitores de todas as idades fãs de aventuras fantásticas."

2. Resenha de Cisne, feita pela Alice, do blog Louca Escrivaninha hoje mesmo, 21 de outubro. Resenha completa aqui, e uma mega dificuldade em selecionar uma frase só...

"Uma das coisas que amei foi o ar futurista presente na história, o que o diferencia de qualquer outra história que tem algo a ver com o mar ou com um futuro onde o planeta tá um caco. Até comunicação e viagens espaciais rolam! E como o livro é em terceira pessoa, é fácil imaginar e até visualizar as coisas que são descritas de forma super minuciosas pela autora (o que dá muito mais personalidade para os personagens)."

3. Resenha de Cisne, feita pela Giulia, do blog Prazer, me chamo livro! A resenha também saiu hoje, está aqui neste link.

"Esse é o começo da história de Henry e Doris Melbourne, um casal de biólogos marinhos que mora no veleiro Cisne com seus 8 filhos! Sim, OITO (Ted, Teo, Tim, Tom, Pam, Lis, Peggy e Bob)! Sete biológicos e uma adotada. Essa turma toda é a tripulação do barco e, apesar da pouca idade, dá conta de todos os afazeres - e ainda de boas gargalhadas. Os Melbourne têm uma quedinha por gêmeos, e eu tive uma quedona pelo Tim." 

Essas são as novidades, pessoal!


sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Descobrindo coisas sobre minha maneira de escrever


Uma vida toda escrevendo e, quando vou ver, estou me surpreendendo comigo mesma... E com cacoetes que arrumei sem perceber!

Sempre disse que, quando a inspiração bate, escrevo em qualquer lugar, sem problema algum. Não preciso silêncio - música específica - café na xícara azul de gatinhos - incenso de abacaxi. Inspiração = sentar + escrever + me divertir. Simples assim! Quer dizer, eu achava.

Também disse que, devido às bilhões de revisões que meu TOC literário me obrigou a fazer em Cisne e Linhagens, há bastante tempo não me envolvia com textos realmente novos. Era só consertar, remendar, incluir, cortar. Houve duas exceções a esse jejum literário: primeira, os artigos para Mulheres que Comandam, mas nesses textos é a pediatra Eleonor quem fala, não a escritora. Segunda exceção, o resumo de Cisne feito a quatro mãos por mim e por Henry Melbourne - mas esse também não é um texto tipicamente meu, uma vez que foi escrito em primeira pessoa, e eu sempre escrevo em terceira (coisas do Mentor de Kreganian. Ele é que estipulou que só escrevia se fosse desse jeito. Eu precisava de ajuda e concordei.)

Agora Cisne está sossegado com seus travessões e capítulos menores, falta apenas a última revisão com o texto impresso (juro que vai ser a última, rsrs!). Linhagens também está em paz, já tenho uma listinha de modificações a serem feitas numa próxima edição (TOC literário, ok?); nada cataclísmico, apenas separações de sílabas que podiam ter ficado melhores, umas vírgulas que sobraram após a inclusão dos travessões, coisas assim.

Com a vida assim organizada, me atirei alegremente no livro n. 3, que tem 90% de chances de se intitular Talismãs. Há, é claro, o que cortar, remendar e arrumar na parte dele que já está pronta. Mas também há partes a serem incluídas, e foi nestas que me atirei, feliz da vida por escrever algo totalmente novo depois de tanto tempo. O esquema de cada cena e acontecimento estava certinho na cabeça. Os personagens se apresentaram, prontos para colaborar. Comecei a escrever toda contente. E travei. Não entendi. Travei de novo. Peguei outro pedaço. Mais uma trava. Voltei ao primeiro. Ideias certinhas, personagens presentes prontos a dar palpites - e mais uma vez não funcionou. E eu sem entender o que estava acontecendo.

Daí, de repente - FEZ-SE A LUZ!

Eu simplesmente NÃO SEI escrever desse jeito que os livros ficam depois de revisados! Não sei escrever colocando as sagradas descrições de ambiente junto com os diálogos, me tira o ritmo, me distrai! Mas sabem o que me atrapalha MESMO? Aqueles travessões que vocês consideram indispensáveis, os que ficam no final das falas dos personagens! Escrevi minha vida inteira usando vírgulas, agora não consigo escrever com travessões. Eles me tiram a fluência, a espontaneidade, e meus personagens ficam olhando pra eles e pensando "o que é que essas coisas estão fazendo aí?!" Portanto, larguei os travessões e as descrições de mão, me atirei a escrever do jeito que sempre escrevi... E eis que a coisa passou a funcionar novamente!

Conclusão: admito que também tenho o que pensei que não tinha: manias ao escrever! PRECISO escrever do MEU jeito, nem que tenha que revisar tudo depois, rsrsrs!