sexta-feira, 23 de novembro de 2012

A palavra é OUSADIA!


Como toda boa galinha choca cuidando dos seus pintinhos, basta eu saber que o Cisne foi postado em um blog ou site e lá estou eu, direto, conferindo se o filhote ficou bem na foto.

No dia 21, o Cisne apareceu pela primeira vez em um blog parceiro, o Leitura nossa de cada dia (http://www.leituranossa.com.br/), de Débora Lauton. Ela escreveu exatas seis linhas sobre o Cisne, linhas estas que li, reli e li de novo não sei quantas vezes mais.

Motivo número 1, Débora se confessou fisgada pelos três primeiros capítulos do Cisne, que leu aqui no blog (página O Livro). Aqui, veja-se meu sorriso feliz de autora satisfeita, principalmente porque, comparado ao restante do livro, estes são os capítulos mais lentos.

Motivo número 2, a frase que Débora usou (licencinha para copiar tua frase, Dé!): "Fui fisgada pela história que é bem diferente de tudo o que tenho lido e pela ousadia da autora... o livro possui simplesmente 832 páginas... e isso para mim é bastante ousado!!"  

Não sei se vocês, novos amigos do blog e do Cisne, olharam as primeiras postagens. Acredito que não. Lá, eu conto que o Cisne e a série que ele inicia - Uma geração. Todas as decisões - é o projeto de uma vida inteira. Não é fácil pegar o sonho de uma vida toda e expor à crítica de terceiros. Realmente, não é NADA fácil. Confio nos meus personagens, confio no enredo... O que eu não confiava, de jeito nenhum, era no tamanho do livro! Sempre soube que ele era grande demais, mas não consegui "espremer" a história. Era esse tanto que eu precisava: absurdas 832 páginas! E, cada vez que meu original foi avaliado, eu tinha certeza absoluta de que a resposta seria "o enredo é bom, mas precisa dar um jeito de encurtar!".

Ninguém disse isso.

A revisora, Karla Reis, é minha amiga, mas, quando se trata de trabalho, é totalmente profissional. Discutimos essas x estas, vírgulas, concordância, uso de expressões, frases ambíguas... Ela não falou do tamanho do texto. Me espantei, mas fiquei quietinha. Depois da Karla, o Cisne foi para Thaís Turesso, do Viaje na Leitura, que trabalha com crítica literária. Mandei o original e pensei: "ok, agora ela fala do tamanho!". Thaís falou um monte de coisas, todas elas muito elogiosas. Não falou do tamanho. Por último, Léo Kades, editor da Dracaena. Mandei o original e só fiquei esperando o "precisa reduzir esse texto"... Que também não veio! 

O que tudo isso tem a ver com o texto da Dé, no Leitura nossa de cada dia? Bom, eu nunca tinha encontrado a palavra para definir a cara-de-pau de uma autora inédita que tem a pretensão de começar sua carreira com um "monstrinho" de 832 páginas. Graças à Dé, encontrei: OUSADIA! 

Gostei da palavra, Dé. Definitivamente, ADOREI! Foi uma ousadia. Foi um atrevimento, e que bom que deu certo! 

Espero que dê certo para vocês também, todos vocês que, logo, vão estar com o Cisne nas mãos. Espero que não se assustem com o tamanho e mergulhem com entusiasmo na leitura. Na minha muito parcial opinião, vale a pena!

Ah, o Cisne agora está no issuu, o que proporciona uma leitura virtual muito mais prática do que minhas postagens amadoras. O link é:

 

3 comentários:

  1. Oi Eleonor,

    Fico contente que encontrei a palavra que você queria para definir seu trabalho, foi a primeira coisa que me veio em mente... cara de pau foi a segunda...rsss
    Nem consigo imaginar como é colocar tanta dedicação para análise de terceiros, creio que é por isso que sou covarde demais para escrever um livro.
    Estou doida para continuar a leitura e desde já torço pelo seu sucesso!!

    beijos,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como é colocar tanta dedicação para os outros analisarem? Resumindo, "coração na mão"! Quanto à palavra ousadia, foi simplesmente PERFEITA!

      Excluir
  2. Ousadia!

    A Dé conseguiu definir bem toda a intenção do "monstrinho de 832 páginas" kkkk

    ResponderExcluir

Agradecemos seu comentário, foi lido com carinho! Volte sempre!