quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Recado para quem gosta de livros pequenos...

... Mudem de blog, pessoal, porque meu monstrinho ficou GRANDE! Querem saber o número de páginas? Estão bem sentados? Bom, são exatas 832 páginas! Confesso que nem eu esperava que se tornassem tantas, depois da diagramação! Mas se tornaram, e vocês têm minha palavra: preciso de cada uma dessas 832 páginas para contar minha história!

Aí está a foto do monstrinho impresso e encadernado. Precisei separar em duas partes para facilitar o manuseio durante a revisão - a última revisão antes de ir para a gráfica.

Bom, seguinte. Sei desde sempre que o principal "defeito" do Cisne é o seu tamanho. É um livro grande, mas, na verdade, antes era maior ainda. Sofreu meses e meses de cortes impiedosos de tudo que não me pareceu essencial (partes bonitinhas, algumas MUITO bonitinhas, mas o enredo sobrevive sem elas). Depois de terminada toda a parte do corta-resume-remenda, o tamanho ainda era quatrocentas e muitas páginas A4 com letra tamanho 12. Li e reli mais umas vinte vezes depois de considerar pronto, cortando coisas a cada leitura. E, com um suspiro, concluí que o tamanho era aquele mesmo. Eu não podia tirar mais nada. 

Foram essas quase quinhentas páginas que a Karla revisou. A cada capítulo, eu esperava o inevitável "isso está comprido demais". Ele não veio. O original foi mandado para algumas editoras e, sinceramente, duvido que tenha sido lido. Então, depois de alguns contatos, o Cisne foi para a leitura beta da Thaís. Fiquei de novo com o coração na mão, esperando de novo o tal "isso está comprido demais", que mais uma vez não veio. Da Thaís, o Cisne foi para o Léo Kades, editor da Dracaena. Ele disse que era um livro realmente grande, teria como dividir em dois? Não, porque a narrativa não permite. E o Léo, com toda a experiência que tem no mercado editorial, aceitou o Cisne tal qual ele é: enorme!

O que tenho a dizer em defesa das minhas oitocentas páginas? Vejamos. A leitura é leve, não cansa. As páginas passam muito rápido. Tudo que podia ser retirado, foi retirado; assim, restou o que realmente interessa. Sugiro que voltem lá na página Já Leram, releiam os comentários de quem já leu o Cisne, e observem que, nos comentários, ninguém parece estar falando de um livro de oitocentas páginas...

4 comentários:

  1. Oi Eleonor,

    Creio que muitos leitores vão amar Cisne independentemente do tamanho do "monstrinho" kkkkk
    Livros grandes enfeitam nossas estantes, nos dão um prazo mais longo com nossos personagens favoritos e quando a leitura é tão fluente quando à sua escrita, são um prato cheio, impossível reclamar!

    Quero ver na mão! Ansiedade mil *-*

    ResponderExcluir
  2. Parabéns! Queria ter um quarto da inspiração. Meu último livro ficou com umas 100 A4 ahha

    ResponderExcluir
  3. Se a sua história precisava dessas páginas para ser contada, tem que ser assim mesmo, ué :). Eu particularmente gosto de livros grandes e detalhados, Eleonor! Acho que vai ficar joia!

    ResponderExcluir
  4. É sério que o Cisne é tão grande assim? Devo ser muito eficiente mesmo porque revisei ele rapidinho! haahahhahaa Brincadeira, o mérito é todo teu, amiga!

    ResponderExcluir

Agradecemos seu comentário, foi lido com carinho! Volte sempre!