quarta-feira, 25 de abril de 2018

Resenha: Herdeira?




Para hoje, temos a resenha de Herdeira? feita pela Maria Eduarda, do blog Burn BooksMaria Eduarda é parceira nova, e recebeu Herdeira? para ler sem conhecer os livros da série principal.

Do ponto de vista dela, foi " bom e ruim ao mesmo tempo. Bom porque fui pega de surpresa por tudo e isso é muito legal. Ruim porque, no começo, me senti um peixe fora d'água na história."

Do meu ponto de vista, é sempre interessante quando um leitor zero-quilômetro pega um dos contos para ler. Consigo avaliar a maneira como estou apresentando (rapidamente) um universo construído para um enredo bem maior. Fica mais interessante ainda em Herdeira?, que é ambientado em pleno Império Atlante. Levando em conta a resenha, diria que consegui me explicar bem.

A outra parte divertida pacas (estão com saudades de Bobby, leitores veteranos?) é quando uma leitora novinha, que nem abriu Cisne ainda, escreve na resenha que "Nada é o que parece ser em Herdeira?". Oh-oh. Minha mão continua boa, hein! Quanto a nada ser o que parece, Maria Eduarda... Olha, sabe de nada, inocente! Pergunte aos veteranos.

A resenha da Maria Eduarda está completa aqui. Vão lá olhar, comentem!

Frase preferida da resenha:
"Os personagens são bem construídos, o enredo é muito bem contado, com uma história cativante e cheia de reviravoltas. A ação aqui é incontestável!"

Alguém aí interessado em mais histórias acontecendo no Império Atlante?


terça-feira, 10 de abril de 2018

Maravilhas do céu: a estrela mais distante

Gente, juro: não parece que faz mais de mês desde a última postagem. Esse tal de tempo está de brincadeira comigo.

A estrela em questão é o ponto brilhante entre as galáxias

Bom, para hoje temos a estrela mais distante já descoberta, e foi descoberta por acaso, vejam só! O que me atraiu ao assunto foi a imagem acima, que é linda.

Aconteceu assim: uma equipe internacional de pesquisadores da Escola de Ciências da Universidade de Tóquio utilizava o telescópio espacial Hubble para observar um aglomerado de galáxias a 5 bilhões de anos-luz de distância quando os especialistas notaram uma cintilação estranha ao fundo. Uma análise mais detalhada mostrou que a luz não vinha de uma estrela em explosão, ou seja, uma estrela antiga, no final de sua vida, mas de uma estrela azul - uma estrela superjovem.


O aglomerado de galáxias, por conter um poder gravitacional extremo, havia dobrado o espaço-tempo (!) e criado um efeito chamado "lente gravitacional", que ampliou a imagem de uma estrela que estava ao fundo, muito mais distante. A estrela, batizada como Icarus, foi ampliada em cerca de 2.000 vezes e se tornou a estrela mais distante já observada em todo o Universo. De acordo com o estudo publicado na revista Nature Astronomy, Icarus está a aproximadamente 9 bilhões de anos-luz da Terra.

Os pesquisadores esperam encontrar mais estrelas ampliadas pela lente gravitacional, em especial quando o próximo telescópio espacial, o James Webb, se tornar operacional. 

Fonte: site Galeria do Meteorito. Fotos de divulgação da NASA e do Hubble.